SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Só 42% dos goianos já entregaram a declaração

A 15 dias do fim do prazo, só 317 mil dos 750 mil em Goiás que devem declarar o IR acertaram as contas

Tudo indica que a maioria dos goianos deve repetir a tradição de entregar a declaração do Imposto de Renda nos últimos dias. Faltando apenas 15 dias para o término do prazo estipulado pela Receita Federal, que vai até 30 de abril, apenas 42% dos contribuintes goianos que estão obrigados a declarar o imposto enviaram a declaração.

Isso significa que 433 mil goianos, dos 750 mil que são aguardados este ano, ainda precisam enviar a declaração. Para o supervisor do Programa do Imposto de Renda da Receita Federal em Goiânia, Jorge Francisco Martins, essa é uma situação que se repete todo ano. Segundo ele, geralmente metade dos contribuintes entrega a declaração até a penúltima semana do prazo estipulado e toda metade restante deixa para a última semana.

Jorge Martins alerta que, quem deixou para cumprir a obrigação na reta final, terá de correr contra o relógio para evitar problemas comuns da última semana. “Podem acontecer congestionamentos, como já ocorreu em anos anteriores, e muitas pessoas não conseguiram entregar”, adverte o supervisor. Ele lembra que, por causa do excesso de trabalho, os próprios contadores podem não conseguir entregar todas as declarações.

Horas

Atualmente, os contribuintes estão levando apenas três segundos para enviar a declaração. Mas a pessoa que deixar para a última hora pode levar horas para conseguir fazer o procedimento, por causa do congestionamento. “Além disso, a tendência de quem deixa para a última hora é fazer a declaração de forma afoita, correndo o risco de esquecer alguma informação importante”, alerta Jorge.

Ele lembra que quem entrega a declaração primeiro tem prioridade no recebimento da restituição do Imposto de Renda. Hoje, pessoas idosas, com deficiência física ou mental e portadores de moléstias graves terão prioridade na entrega da restituição. “Quem deixou para a última hora, receberá apenas nos últimos lotes”, explica.

O contador Edson Cândido Pinto, da ECP Contabilidade, informa que a cada dia mais contribuintes procuram o escritório em busca do serviço para fazer a declaração. Ele conta que este movimento já é considerado normal para o período. Quem deixa para última hora, geralmente ainda precisa reunir documentação e precisa correr. “Hoje mesmo, atendi um cliente que me entregou uma caixa grande cheia de documentos”.

Edson Cândido lembra que o ritmo de trabalho costuma ser forte nos últimos dias. De acordo com ele, muitas vezes o escritório precisa até virar a noite trabalhando para conseguir cumprir o prazo para entrega todas as declarações. “Deixar para a última semana será muito pior porque a expectativa da Receita é de congestionamento do sistema”, alerta o contador.

Ontem, ele atendia o empresário André Bittencourt, que ainda buscava orientações sobre a documentação que precisará reunir rapidamente. “Todo dia você se lembra de que precisa fazer isso, mas fica protelando para resolver outras coisas mais urgentes. Depois, se lembra de que o prazo já está terminando e de que precisa correr”, justifica André. Segundo ele, muita gente demora para enviar a declaração por confiar que o contador conseguirá fazer todo trabalho no tempo hábil. “Quero enviar ainda esta semana sem falta.”

Nova versão

O supervisor da Receita Federal informou ontem que já saiu a nova versão do Programa do Imposto de Renda, que amplia as possibilidades de doações ao Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente. Ele explica que a primeira versão só tinha quatro fundos cadastrados em Goiás. Já a nova versão traz 21 fundos habilitados a receber doações, inclusive nas cidades da Goiânia e Aparecida. “É uma doação que a pessoa faz sem mexer no bolso”, destaca o supervisor Jorge Martins.

A pessoa pode doar até 3% do imposto devido diretamente na declaração. A doação é deduzida diretamente no imposto. Ele dá o exemplo de uma pessoa que tem um imposto apurado de R$ 10 mil e poderá doar R$ 300. Se esse contribuinte tiver um imposto retido de R$ 8 mil, terá de pagar R$ 2 mil.

Em caso de doação, seu imposto devido cairá para R$ 9,7 mil e ele terá de recolher R$ 1,7 mil. “A pessoa preencherá um Darf com este valor total ou parcelado, e outro de R$ 300 diretamente para o fundo”, explica. Vale lembrar que o recolhimento deve ser feito até 30 de abril. Caso a pessoa tenha imposto a restituir, também poderá fazer a doação.

Tem contribuinte que tenta descontar até motel

São Paulo – Na hora de declarar o Imposto de Renda, tem contribuinte que tenta, de qualquer forma, pagar menos tributo ou aumentar sua restituição. E nessa hora vale tudo, até incluir gasto com motel e declarar como despesa médica os gastos com a cirurgia pela qual o animalzinho de estimação foi submetido.

A Receita Federal cita os casos mais curiosos e, muitas vezes, frequentes, de quem tenta “enganar” o Leão. “Tem gente que pensa ‘vou tentar, se colar, colou’. Já vimos de tudo em declaração. Uma vez, um profissional liberal lançou muitas despesas no seu livro caixa [incompatíveis com a renda], uma delas com motel. É absurdo, porque ele só pode tentar deduzir despesas necessárias para obtenção de receita, lucro, como equipamentos, gastos com funcionários… Mas esse não foi o único. Tem profissional liberal que declara gastos com show, viagens”, disse o auditor da Receita Federal em São Paulo Luiz Monteiro.

Fonte: O Popular (GO)

Deixe um comentário