SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Governo anuncia R$ 100 bilhões em linha de crédito para empresas

Os R$ 100 bilhões anunciados serão liberados dentro do PSI

 

Na tentativa de dar novo gás aos investimentos, o governo anunciou nesta quarta-feira a redução da TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo) e uma linha de R$ 100 bilhões com juros mais baixos — até negativos — para financiar o setor de bens de capital em 2013.

A TJLP –taxa cobrada na maioria dos empréstimos do BNDES– será reduzida de 5,5% ao ano para 5% no próximo ano. Se inflação continuar girando acima de 5%, como ocorreu neste ano, isso indica que os juros ficarão negativos, ou seja, o banco estará “pagando” para conceder empréstimos.

Os R$ 100 bilhões anunciados serão liberados dentro do PSI (Programa de Sustentação de Investimento), que acabaria neste ano e foi prorrogado.

O programa terá taxas entre 3% e 8% ao ano para financiar a produção e a exportação de máquinas, caminhões, tratores, bens de consumo, entre outros, além de investimento em pesquisa.

Do total anunciado, R$ 85 bilhões serão emprestados pelo BNDES diretamente ou por intermediação de outros bancos credenciados. O restante –R$ 15 bilhões– virá da liberação de compulsórios.

Esses recursos pertencem aos bancos e ficam retidos junto ao Banco Central. Eles poderão ser utilizados exclusivamente para empréstimos dentro das condições do PSI.

AGILIDADE

Segundo o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, o banco está trabalhando para agilizar as liberações e reduzir os prazos de espera das empresas.

Do segundo semestre de 2009 até este ano, observou, já foram emprestados R$ 200 bilhões dentro do PSI.

Em alguns casos, como máquinas e equipamentos de transporte as taxas serão menores no primeiro semestre (3% ao ano) e sobem para 3,5% ou 4% ao ano na segunda metade de 2012.

“Em média, as taxas do ano que vem serão muito menores que a deste ano”, disse Coutinho.

Dependendo do bem financiado, os prazos dos empréstimos chegam a uma década ou até mesmo 30 anos.

MAIS INVESTIMENTOS

O objetivo do governo é conseguir fazer com que os investimentos cresçam 8% no próximo ano, o que viabilizaria uma expansão do PIB (Produto Interno Bruto) de 4% em 2013. Neste ano, houve retração dos investimentos e a economia brasileira deve crescer apenas 1%.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, destacou que a queda da TJLP reduz inclusive o custo dos empréstimos já concedidos que são corrigidos por essa taxa.

“O governo está viabilizando um volume de credito bastante expressivo. Nós estamos falando em R$ 100 bilhões e com isso nós acreditamos que boa parte dos investimento terá um estímulo com taxas bastante reduzidas”, afirmou.

Na terça-feira (4), o governo já tinha anunciado medidas de estímulo para o setor de construção, que responde por cerca de metade dos investimentos no Brasil. Com a medida, o setor, segundo o ministro Guido Mantega (Fazenda) terá um alívio anual de R$ 2,850 bilhões, referente à redução na contribuição previdenciária. Também foram anunciados descontos de outros impostos e acesso a capital de giro.

 

Fonte: Folha.com

Deixe um comentário