SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Transporte e alimentação pressionam inflação em Goiânia

Dados são divulgados pela Secretaria de Gestão e Planejamento de Goiás (SegPlan)

A inflação de Goiânia no mês de julho foi divulgada nesta terça-feira, 9 de agosto, pela Secretaria de Gestão e Planejamento de Goiás. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) mostrou que a inflação aumentou 0,12%. Em julho, houve variação de 0,29%, sendo que em junho essa variação havia sido de 0,17%.

A maior parte dessa elevação está concentrada em dois grupos: transporte e alimentação. No transporte houve uma variação de 0,74%. A alta foi decorrente do aumento do preço do etanol (5,62%) e da gasolina (1,05%). Também houve a elevação no preço das passagens de ônibus para viagens interestaduais (17,65%) e intermunicipais (16,35%) nesse período de férias. Os alimentos cresceram na inflação em 0,32%. O feijão (2,48%) e o arroz (0,67%) fecharam em alta, mas o verdadeiro vilão de julho foi o açúcar, com 7,06%.

A cesta básica teve um pequeno aumento. Em junho ela estava custando R$ 199,36, mas no mês sete ela passou a custar R$ 200,08. Mesmo com esse crescimento ela ainda está mais econômica que no começo do ano, que chegou a custar R$ 205,03.

A expectativa para agosto é otimista e sem indicações de elevações da inflação. “O que pode acontecer é que, com a chega do frio na região sul do país, ocorra algum problema com os alimentos, mas mesmo assim a previsão para agosto é boa”, comenta a superintendente de Estatística, Pesquisa e informação da Seplan, Lillian Maria Prado.


Marcelo Eurico e Lillian Prado falam sobre o aumento da inflação no mês de julho

Fonte: Assessoria de Comunicação do SindMetal-GO

Deixe um comentário