SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Simelgo repete a tática da demora. Trabalhadores podem ir à greve

As três reuniões realizadas entre os sindicatos profissional e patronal, apenas uma contraproposta de 5,62% de aumento nos salários

Mais uma vez a estratégia utilizada pelo sindicato patronal em atrasar as negociações da data base pode levar os metalúrgicos de Goiânia e região metropolitana a cruzar os braços. Foram cinco meses de espera para uma oferta de repasse da inflação acumulada do período aos salários, que ficou em 5,62%.

Uma pesquisa feita pelo SindMetal-GO junto aos trabalhadores revelou que 84,3% dos entrevistados aprovam uma greve geral, caso a contraproposta não chegue em pelo menos a 9%. A pesquisa foi realizada entre os dias 17 de março a 2 de abril e foram ouvidos 1.017 trabalhadores.

Vinte e sete pessoas trabalharam na enquete. Apenas operários do chão de fábrica foram consultados e responderam a duas perguntas de forma espontânea: a primeira se concordavam com o repasse da inflação para o valor dos salários, e em caso negativo qual seria a atitude a ser tomada. 

A pesquisa foi desenvolvida nos municípios da base de representação do SindMetal-GO onde concentra a maioria dos 20 mil trabalhadores: Goiânia, Aparecida de Goiânia, Trindade e Goianira. Apenas 12,7% dos entrevistados concordaram com a oferta patronal, 3% não souberam ou não quiseram responder. Esse resultado pode apresentar uma variação de até 2,5% pontos percentuais, para mais ou para menos, de acordo com o coordenador geral da pesquisa.

Veja Também:

Festa do Dia do Metalúrgico Vem aí 

Sobe para oito o número de acordos já fechados pelo sindicato em 2014

Fonte: Núcleo de Jornalismo e Assessoria de Imprensa


Deixe um comentário