Para governo, votações no Congresso representam “embate político”

O segundo semestre de 2015 pode ser problemático para o governo federal. As votações das chamadas “pautas-bomba”, que contêm medidas que impactam os cofres públicos, já estão trazendo preocupação aos líderes do Executivo.

Um dos pontos delicados a serem enfrentados pelo governo no Congresso Nacional é o projeto que altera a correção dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), passando dos 3% ao ano, segundo as regras atuais, para 6%.

Diante da iminência de enfrentar debates polêmicos no Congresso, o ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, afirmou, em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, que o governo tem que movimentar a base, no que ele denominou como “embate político”, de forma a sair vitorioso das votações.

Entre os projetos que devem ser votados no próximo semestre estão a redução das desonerações na folha de pagamento de empresas, que faz parte do pacote de ajuste fiscal, além do financiamento privado de campanha e da redução da maioridade.

Deixe um comentário