Operação Lava Jato faz primeira apreensão no exterior

21/03/2016

Na madrugada desta segunda-feira, 21 de março, a operação lava jato deflagrou sua 25° fase, sendo esta a primeira busca, apreensão e prisão preventiva internacional. Após dois anos de investigação, Raul Schmidt Felippe Junior foi o primeiro nome encontrado pela Policia Federal. Detido em Lisboa, Schimidt foi apontado como um dos envolvidos no esquema de corrupção estatal.

Brasileiro mas também com nacionalidade portuguesa, Raul trabalhou na Petrobras entre os anos de 1980 e 1997, 17 anos depois deixou a estatal e negociou contratos da própria Petrobras com empresas investigadas pela Justiça brasileira. A Petrobras contratou a empresa norte-americana Pride para perfurar um campo de petróleo no Golfo do México. Segundo auditoria posterior da própria Petrobras, o serviço custou R$ 118 Milhões a mais que o previsto.

Raul Schmidt Felippe Junior é investigado pelo pagamento de propinas aos três ex-diretores da estatal petrolífera: Renato de Souza Duque, Nestor Cerveró e Jorge Luiz Zelada. Ambos da área internacional e presos em Curitiba pela participação no esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa instalado na Petrobras.

O Ministério Público Federal informou que o investigado vivia em Londres, onde mantinha uma galeria de arte, e se mudou para Portugal após o início da operação Lava Jato, em virtude da dupla nacionalidade.  Felippe Junior estava foragido desde julho de 2015, quando foi expedida a ordem de prisão.

Deixe um comentário