Justiça realiza perícia na empresa Posto de Molas Real

Uma perícia técnica para verificar a existência de produtos químicos que provocam ambientes insalubres nas dependências da empresa Posto de Molas Real, em Goiânia, foi realizada nesta terça-feira, 20 de janeiro. O perito foi indicado pela juíza do trabalho Camila Baião Vigilato, que atua no processo patrocinado pelo SindMetal-GO em uma ação de cumprimento.

O sindicato pleiteia o pagamento do adicional não só aos atuais empregados, mas também aos que já tiveram os contratos de trabalho rescindidos no período de até dois anos em relação à data de propositura da ação. A lei garante ainda que o adicional deve ser pago de forma retroativa, considerando os últimos cinco anos trabalhados pelos empregados.

Café da manhã e lanche

Além do adicional de insalubridade, a empresa ainda responde na justiça por uma ação coletiva por não fornecer aos seus empregados, diária e gratuitamente, o café da manhã e o lanche da tarde previstos em Convenção Coletiva.  O sindicato requer a reparação do direito violado junto ao poder judiciário em favor de todos os empregados da Posto de Mola Real.

Veja também:

> Desemprego no setor metalúrgico cresce nos últimos anos

> Metalúrgicos definem hoje o pedido de aumento da data base

> Associados e dependentes buscam assistência médica no sindicato

Fonte: Núcleo de Jornalismo e Assessoria de Imprensa

Deixe um comentário