Justiça determina a quebra de sigilo do ex-ministro Guido Mantega

Partindo dos inquéritos da Operação Zelotes, que investiga um esquema de corrupção no Conselho Administrativo de Recurso Fiscais (Carf), o juiz da 10ª Vara Federal, Vallisney de Souza Oliveira, acolheu pedidos do Ministério Público Federal (MPF) no Distrito Federal e autorizou a quebra de sigilo bancário e fiscal do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega. Além dele, cerca de 30 outros investigados também devem ter os sigilos bancários quebrados.

A investigação busca descobrir se houve interferência ilegal nas nomeações dos conselheiros do Carf feitas por Mantega. A ação também apura supostos vínculos do ex-ministro com o dono de uma das empresas beneficiadas por decisões suspeitas do órgão, o Grupo Comercial Cimento Penha, do empresário Victor Sandri.

Segundo a Operação, a SGR Consultoria Empresarial, uma das empresas investigadas, intermediou acordos para livrar o grupo de uma dívida fiscal de R$ 106 milhões. Os débitos chegariam a R$ 200 milhões. Sandri também teria auxiliado a eliminar dívidas de outras empresas com o fisco.

O Carf, cujas decisões estão sob suspeita de manipulação e são o foco da investigação, é um órgão colegiado do Ministério da Fazenda, responsável por julgar recursos administrativos de autuações contra empresas e pessoas físicas, causadas por sonegação fiscal e previdenciária.

Deixe um comentário