Governo adia pagamentos do abono salarial para 2016

A presidente Dilma Rousseff não se cansa de prejudicar a mão de obra brasileira com a desculpa de livrar o país da crise. Nesta quinta-feira, 2 de julho, o governo anunciou que metade dos benefícios do abono salarial, que seriam pagos este ano, só serão concedidos em 2016.

O abono salarial equivale a um salário mínimo e funciona como uma espécie de 14º salário. Ele é pago anualmente aos trabalhadores que recebem remuneração mensal de até dois salários mínimos. O Ministério do Trabalho e Emprego bem que tentou justificar o adiamento. Disse que a medida pretende “garantir a saúde financeira do Fundo e proteger um patrimônio dos trabalhadores”.

Mas de que adianta dizer que o abono salarial é um “patrimônio” dos trabalhadores, se o governo não garante o benefício nas datas programadas? Esta é só mais uma das inúmeras contradições do governo petista. Não faz muito tempo que Dilma Rousseff vetou o fim do fator previdenciário e aprovou leis que dificultam o acesso aos direitos trabalhistas.

Deixe um comentário