SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

De norte a sul, sindicalistas criticam PL das terceirizações

Após repercussão da entrevista publicada no portal SindMetal com a economista do DIEESE-GO, Leila Brito, a equipe de jornalismo do sindicato foi até Caldas Novas, onde ocorreu o 1º Encontro de Montadoras, para ouvir o que os sindicalistas de todo o país pensam a respeito da PL 4330 e de que forma a terceirização afeta a categoria por eles representada.

Todos foram unânimes: se aprovado, o projeto será um retrocesso dos direitos trabalhistas no país. O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Volta Redonda, RJ, Silvio Campos, apresentou dados que comprovam a precariedade desta mão de obra em seu Estado. “Terceirizados ganham 24% a menos, a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) é baixa e não há sequer segurança do trabalho” afirma.


Secretário geral da CNTM: Temos que pressionar Brasília

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Anápolis, GO, Reginaldo Farias, conta que empresas de seu município, como a Gravia, já enxergam na possível aprovação do projeto uma oportunidade de terceirizar ainda mais funcionários. Já o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Sete Lagoas, MG, Ernani Dias, afirma que a luta para diminuir as terceirizações corre o risco de enfraquecer. “Em 2014, conseguimos tirar 800 trabalhadores da Fiat do regime terceirizado. Se o projeto virar lei, vamos ficar igual caranguejo e andar para trás” lamenta.

Mobilização

Todos os sindicalistas ouvidos pela reportagem estão engajados na luta contra o PL 4330. A estratégia da maioria é articular com os senadores de seu próprio Estado no sentido de convencê-los a derrubar o projeto na Casa. “Temos que fazer pressão, ir às ruas e pressionar em Brasília” afirmou o secretário geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM) e membro diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba, Pedro Celso.

Deixe um comentário