De janeiro a agosto, contas públicas têm o pior resultado desde 1997

A previsão de que 2016 deve ser um ano nebuloso para as contas públicas parece estar longe ser o maior dos problemas do Governo Federal ou, pior ainda, parece já estar se concretizando. Afinal, já em 2015, resultados negativos não param de ser registrados. Nesta segunda-feira, 29 de setembro, mais uma má notícia bateu à porta do Planalto.

Segundo a Secretaria do Tesouro Nacional, as contas do governo registraram déficit primário inédito nos oito primeiros meses deste ano. Isso significa que, pela primeira vez nesse período, as despesas foram maiores que a arrecadação. O total do rombo é de R$ 14,01 bilhões.

O resultado é o pior já registrado no intervalo de janeiro a agosto, superando os valores de 1997, que contou com superávit de R$ 4,59 bilhões. No mesmo período de 2014, houve superávit de R$ 4,69 bilhões.

O mês de agosto foi o quarto seguido de déficit, registrando R$ 5,08 bilhões negativos nas contas. O resultado foi melhor que o do mesmo mês do ano passado, quando o débito, que incluiu o pagamento da primeira parcela do décimo terceiro salário dos aposentados, chegou a R$ 10,45 bilhões.

Deixe um comentário