Cesta básica aumenta e valor do mínimo deveria ser de R$ 3.518, diz DIEESE

12/01/2016

Um levantamento divulgado na última sexta-feira, 8 de janeiro, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), mostrou que o valor acumulado da cesta básica aumentou em todas as 18 capitais onde a pesquisa é realizada. Em dezembro de 2015, o preço da cesta básica também subiu em todas as capitais.

A cidade de Porto Alegre foi apontada como a capital com a cesta mais cara (R$418,82), seguido de Florianópolis (R$ 414,12) e São Paulo (R$ 412,12). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 296,82) e Natal (R$ 309,92). Em Goiânia, o valor da cesta ficou estimado em R$335,87, o equivalente a quase 47% do salário mínimo do País. Só para conseguir comprar os alimentos da cesta, o goianiense precisa trabalhar, pelo menos, 93 horas e 46 minutos.

Mínimo ideal

Em dezembro de 2015, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.518,51 ou 4,47 vezes o mínimo em vigor naquele mês, de R$ 788,00. Mas o aumento anunciado no começo do ano de 2016 está longe do ideal: a partir de janeiro deste ano, o salário mínimo passa a valer apenas R$880,00.

Deixe um comentário