Centrais Sindicais cobram do governo maior participação política

Nesta segunda-feira, 29 de junho, foi realizado o Fórum Diálogo Brasil Sindical. O encontro ocorreu na Escola Dieese de Ciências de Trabalho em São Paulo e reuniu Força Sindical, Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) e União Geral dos Trabalhadores (UGT) e o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Miguel Rosseto.

Dentre as reivindicações apontadas no evento, teve destaque a cobrança por maior participação das Centrais Sindicais no Plano Plurianual (PPA) para o período de 2016 a 2019. Na ocasião, as entidades, junto ao Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), entregaram a versão junho de 2015 da “Agenda da Classe Trabalhadora para um Projeto Nacional de Desenvolvimento, com Soberania, Democracia e Valorização do Trabalho”.

Com a função de regulamentar as leis orçamentárias, o PPA é um instrumento que tem a função de apontar as diretrizes dos próximos quatro anos para o governo federal, dos estados e dos municípios. A participação das Centrais Sindicais foi vista como “rica e qualificada” pelo ministro Miguel Rosseto. “A valorização do salário mínimo até 2019, por exemplo, é uma conquista que já está incorporada ao PPA”, prometeu.

Deixe um comentário