SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Ainda não foi desta vez, sindicato patronal adia decisão de greve

Aconteceu na manhã desta terça-feira, 5 de maio, na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Goiás, a mesa redonda que daria números finais ao jogo de empurra dos empresários com relação a contraproposta do aumento salarial dos metalúrgicos da grande Goiânia para o ano de 2015.

O inusitado ficou mais uma vez por conta do hilário advogado que representa o Simelgo nas negociações, em face da falta de coragem dos diretores da entidade patronal em sentar-se à mesa para representar a categoria econômica do setor metalúrgico e de material elétrico (fato que surpreendeu o mediador da reunião no momento de qualificar as partes).


Comissão do SindMetal-GO briga por aumento real de salário (à esq. da mesa)

Sem autonomia para avançar no índice salarial, a comissão de negociação liderada pelo imprevisível advogado se limitou apenas a cumprir o que lhe fora repassado pelos diretores invisíveis da organização. Ao final, os representantes do capital solicitaram que fosse agendado novo encontro fora da superintendência, data fixada para o dia 19 de maio, na sede do sindicato profissional.


Simelgo é representado por advogado (terno preto à dir. da mesa)

Com a inflação nas alturas e o bolso do trabalhador cada vez mais vazio, o presidente do SindMetal-GO, Nelson de Padua, não vê alternativa para se chegar a um termo comum a não ser a greve. “Não existe diálogo nem contraproposta da parte dos patrões que insistem em não avançar nas negociações. Eles nos conhecem e sabem que não vamos aceitar qualquer índice” reitera.

Veja também:

> Em homenagem emocionante, nova sede do Simecat é batizada de “Roberto Ferreira”

> Metalúrgicos jogam última cartada na SRTE/GO antes de decretar greve

> Pra não dizer que não falei do Dia do Trabalho

Fonte: Núcleo de Jornalismo e Assessoria de Imprensa

Deixe um comentário