Vendas começam o ano em alta em Goiás

O comércio varejista de Goiás começou 2014 vendendo mais do que no mesmo período de 2013. No primeiro mês do ano, as vendas do setor foram 7,2% maiores que em janeiro do ano passado no Estado, com crescimento na maioria dos setores pesquisados pelo IBGE. Em relação a dezembro de 2013, houve um incremento de 0,6% nas vendas.

O principal destaque foram as vendas dos hipermercados, supermercados, produtos alimentícios e bebidas, que aumentaram 6,1% este ano. A inflação de alimentos deu uma trégua, o que impulsionou o volume vendido de produtos alimentícios. O calor forte também aumentou a procura por bebidas e eletrodomésticos, como aparelhos de ar condicionado e ventiladores.

Porém, quase todos os segmentos registraram crescimento. Com as tradicionais promoções de início de ano, as lojas de tecidos, vestuário e calçados venderam 13,1% mais este ano, enquanto nas lojas de móveis e eletrodomésticos as vendas cresceram 6,3%.

Outro bom desempenho foi verificado nas lojas de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, cuja comercialização aumentou 21,9% em janeiro. As vendas de combustíveis e lubrificantes caíram 0,4% em relação a janeiro de 2013.

Já o comércio varejista ampliado, que inclui também as vendas de veículos, motocicletas, partes e peças e materiais de construção, cresceu apenas 2%. A razão foi uma queda de 3,8% nas vendas de veículos e motocicletas no Estado.

NO PAÍS

Recuperando-se da queda registrada no mês anterior, as vendas do comércio varejista aumentaram 0,4% na passagem de dezembro para janeiro no País. A maioria das atividades pesquisadas registrou expansão, mas o destaque foi o desempenho dos supermercados.

No varejo ampliado, que inclui os setores de veículos e material de construção, a expansão de 2,1% no mês foi puxada pelas vendas de automóveis. Montadoras e concessionárias ainda tinham em estoque veículos mais baratos. “Bens sem a elevação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e modelos sem os itens de segurança obrigatórios (air bag e freios ABS) ainda podem ser comercializados no início do ano, embora não seja mais permitida sua fabricação”, apontou Mariana Oliveira, economista da divisão de Macroeconomia e Política da consultoria Tendências.

Alguns analistas consideraram que o bom resultado de janeiro indica um aumento maior do que o esperado no Índice de Atividade Econômica do Banco Central do mês, além de corroborar a expectativa de pelo menos mais uma alta de 0,25 ponto porcentual na taxa básica de juros, a Selic, em abril.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário