SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Trabalhadores desconhecem novas regras do seguro-desemprego

A mudança nas regras para tirar o seguro-desemprego começou a valer no último sábado (28). Nesta segunda (2), porém, muita gente que compareceu ao Poupatempo de Santo Amaro, na Zona Sul da capital paulista, não sabia que pessoas demitidas agora precisam ter trabalhado 18 meses, e não mais seis apenas, para ter direito ao benefício na primeira solicitação.

Era o caso da ajudante-geral Célia Pereira, de 41 anos, que disse saber que algo estava para mudar nas regras, mas que não sabia exatamente o que. “Acho que isso não foi bem explicado”, disse.

Ela comemorou, porém, o fato de ter saído do último emprego em janeiro, antes de as novas regras entrarem em vigor. “O trabalho ia mudar para outro bairro. Acabou compensando sair naquele momento”, disse. Ela trabalhou por oito meses e não poderia receber o seguro-desemprego se as novas regras já estivessem valendo em janeiro.

Célia opinou que a mudança “prejudica o trabalhador” e que o governo está tirando um benefício dado num “momento de dificuldade”, o de perder o emprego.

A opinião é oposta à de Felipe Mateus, que trabalhou como piloto de testes na Renault e disse que o uso do seguro-desemprego no país foi deturpado.

“Acho que ajudar a reduzir o desemprego. Tem muita gente que quer sair do trabalho por causa desse auxílio”, afirmou. Ele tinha conhecimento das mudanças nas regras, mas não foi afetado porque saiu do emprego em dezembro.

Já o motoboy Leandro Vinícius, de 26 anos, disse desconhecer as novas regras do seguro-desemprego e reclamou da falta de divulgação das novas medidas. “É o mínimo que poderiam ter feito pelo trabalhador”, opinou.

Contratempo

O desconhecimento das novas regras não era a única dificuldade enfrentada por alguns usuários do Poupatempo de Santo Amaro na manhã desta segunda. Funcionários informavam que o sistema estava fora do ar e que o público precisaria esperar. Alguns dos presentes, caso do motoboy Leandro Vinícius, já esperavam havia mais de duas horas pelo atendimento.

Fonte: G1

Deixe um comentário