‘Tem que começar a fazer a declaração logo’, diz supervisor do IR da Receita

Com menos dias para a entrega da declaração do Imposto de Renda este ano, O supervisor do Imposto de Renda da Receita Federal, Joaquim Adir, recomenda aos contribuintes que façam a declaração com antecedência.

“Tem que começar a fazer a declaração logo. Porque a dúvida para esclarecer, ou o documento que está faltando, você percebe só na hora que começa a fazer a declaração. O importante é já ver qual é a situação. O recibo médico, por exemplo. A maioria dos brasileiros pega o recibo e guarda não sei onde. Ou, às vezes, nem pegou ainda o recibo e vai correr atrás para pegar o CPF do médico. O importante é começar logo para olhar se está tudo certinho”, Joaquim Adir.

O contribuinte tem mais um mês para entregar o documento ao Fisco, pois o prazo termina em 30 de abril. Este ano, a declaração começou somente depois do carnaal, em 6 de março, o que reduziu o número de dias para entrega da declaração – o prazo, em geral, começa em no primeiro dia útil de março. Segundo Adir, o contribuinte agora está “correndo atrás” para compensar o tempo perdido.

“Pelo que está ali, o contribuinte vem correndo atrás. Porque [o prazo de entregar] começou só no dia 6. Hoje [terça-feira, começo de abril] deve fechar igual ao ano passado. Na segunda-feira (31), até as 17h, quase 5,5 milhões de pessoas já haviam entregue a declaração do IR. Na terça-feira (1), isso deve chegar aos 5,7 milhões [e empatar com o que foi registrado no começo de abril de 2013]. Se você comparar o número de dias úteis, está um pouco mais na frente [do que no último ano]”, declarou Adir ao G1.

Mais de 20 milhões ainda precisam entregar

A expectativa do Fisco, neste ano, é de receber cerca de 27 milhões de declarações do IR. Deste modo, mais de 20 milhões de documentos ainda têm de ser apresentados neste último mês de entrega. Apesar de o ritmo estar um pouco acima do ano passado, considerando que houve uma queda no número de dias úteis disponíveis em 2014, o supervisor do IR recomendou que as pessoas comecem logo a fazer sua declaração.

Ele afirmou que, até o momento, está tudo “tranquilo” na entrega do IR 2014. “Tem tido demanda de divulgação. A divulgação está muito boa. Normalmente, os primeiros 15 dias tinha uma correria e depois parava [a demanda por informações do IR]. Agora, em 30 dias não parou ainda. Claro que está relacionado com o contribuinte, que demanda isso. A demanda de um modo geral é do contribuinte. Quando a imprensa está procurando, é porque o contribuinte está procurando”, concluiu Adir.

Tablets e smartphones

O supervisor do IR afirmou ainda que a entrega das delarações por meio de tablets e smartphones, que neste ano começou no início do prazo legal, deve registrar um crescimento “muito grande”. Em 2013, menos de dez mil contribuintes optaram por esta forma de declaração. “Será um número significativo [de declarações]”, declarou Adir, sem citar valores.

Adir informou não ter o último levantamento sobre o número de entregas de declarações do IR por meio de tablets e smartphones, mas disse que o mais importante para a Receita Federal é atender a esta demanda. “Quem tem essa tecnologia, tem a oportunidade de usar, está disponível. Tínhamos de disponibilizar uma forma para aqueles que estão correndo à frente, na modernidade”, acrescentou.

Declaração pré-preenchida do IR

Sobre as declarações pré-preenchidas, disponíveis em 2014 somente para os contribuintes que possuem certificado digital, ao custo de mais de R$ 100 por ano, Adir não soube informar quantas pessoas utilizaram o modelo neste ano, mas declarou que a demanda está “boa”, apesar de admitir que há uma “restrição” pela necessidade do uso da certificação digital.

“Não sei se as pessoas vão deixar mais para o final [do prazo] porque tem que tirar o certificado. Tem as vantagens que não precisa guardar dados das declarações anteriores. Muita gente fica ligando na Receita e perguntando qual o número da declaração anterior, ou o arquivo, porque trocou o computador. A declaração pré-preenchida também tem uma tendência de crescimento para atender à uma demanda no futuro. Quem já tem seu certificado, está com uma vantagem muito boa”, avaliou o supervisor do IR do Fisco.

Fonte: G1

Deixe um comentário