SindMetal: Trabalhadores confirmam saída de Edison da presidência

A saída de Edison Cardoso de Sá da presidência do Sindicato dos Metalúrgicos de Jaguariúna e Região (SindMetal) foi confirmada pelos trabalhadores na manhã deste domingo, 10, em Assembleia Geral Extraordinária realizada na sede da entidade, em Jaguariúna

A Assembleia reuniu cerca de 200 pessoas, entre metalúrgicos sócios da entidade e apoiadores de várias partes. O associados ratificaram por unanimidade a decisão tomada pela Diretoria do SindMetal em dezembro de 2010, quando 18 diretores, à exceção apenas de Edison, votaram pelo remanejamento do então presidente para a diretoria de base do Sindicato.

Inicialmente o ex-presidente concordou com o remanejamento, mas, quatro meses depois, volta atrás e agora quer sua reintegração. No entanto, de forma definitiva, Diretoria e trabalhadores entenderam que o Sindicato precisava de uma mudança de gestão que trouxesse novos ares para a luta dos trabalhadores.

Nos últimos anos vinha ocorrendo um desgaste crescente na relação do ex-presidente com os demais diretores, que se queixavam de terem pouca autonomia de ação devido ao comando centralizador de Edison em todas as atividades da entidade.

Somado a isso, os diretores concluíram que não era mais possível aceitar atitudes tomadas pelo ex-presidente atropelando a diretoria, como a contratação de parentes para trabalhar no Sindicato, o uso abusivo da estrutura da entidade para fins particulares e políticos, contratação de funcionária paga com dinheiro do Sindicato para trabalhar em seu gabinete, além do tratamento truculento com funcionários e diretores.

Após 13 anos na função de presidente, o entendimento de todos é de que Edison deu sua contribuição à luta da entidade, mas que já há algum tempo não correspondia aos anseios dos trabalhadores e colocava em risco a credibilidade do Sindicato perante sua base de representação.

Esta vontade de mudança está personificada na figura do novo presidente, José Francisco Salvino, o Buiú, que garante novos tempos no Sindicato dos Metalúrgicos a partir de agora. “A assembleia deste domingo foi um basta a tudo isso e, acima de tudo, representou a vontade dos trabalhadores metalúrgicos da Região em repor a moralidade, a ética e a transparência a uma entidade que deve ser pautada exclusivamente na luta e defesa da classe trabalhadora, e não servir a interesses pessoais e particulares de quem quer que seja”, afirmou Buiú.

A assembleia também confirmou Sandro Rovariz, funcionário da Motorola, como vice-presidente. “O Sindicato é de todos os trabalhadores. Toda essa estrutura deve ser usada na luta e na defesa dos interesses dos nossos companheiros metalúrgicos. Podem ter a certeza de que aqui começa um novo tempo na entidade”, disse Sandro aos trabalhadores presentes.

Fonte: Vermelho

Deixe um comentário