SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Sindicato dos Metalúrgicos do ABC tem novo presidente

O novo presidente, Rafael Marques, que é trabalhador na Ford, se colocou a disposição dos companheiros para continuar os projetos dos metalúrgicos

Em função das responsabilidades assumidas por Sérgio Nobre desde julho, quando foi eleito secretário-geral da CUT, o dirigente deixará o comando do Sindicato a partir de 1º de dezembro. O vice-presidente Rafael Marques será o novo presidente da entidade, neste mandato que vai até 2014.

“Tem sido muito difícil conciliar as duas tarefas, presidir o Sindicato e dar conta das demandas da Central”, disse Sérgio Nobre.

Na reunião da diretoria que firmou a transição, o dirigente agradeceu o apoio da categoria durante os quatro anos de seu mandato e disse que levará as pautas dos Metalúrgicos do ABC para serem discutidas em âmbito nacional dentro da CUT.

“Demandas como o fim do fator previdenciário e do Imposto de Renda na PLR, a proteção ao emprego e a defesa da indústria farão parte do meu trabalho diário na secretaria-geral da Central”, disse.

Em assembleia nesta terça-feira (27) na Mercedes, fábrica em que trabalha, Sérgio Nobre agradeceu à confiança dos metalúrgicos e pediu o mesmo apoio ao novo presidente.

“Rafael é um ‘parceiraço’ e tenho certeza que o Sindicato estará em boas mãos”, afirmou o ex-presidente, que segue como membro da executiva.

“Vou me dedicar agora a um cargo que é o coração da central, o segundo mais importante depois da presidência, e tem tanto trabalho que é impossível dividi-lo com a presidência de um Sindicato do tamanho e importância que é o dos Metalúrgicos do ABC”, prosseguiu.

“Agradeço muito a todos que estiveram juntos no período aqui como presidente. Vou continuar junto ao pessoal na Mercedes e na categoria”, completou Sérgio Nobre ao final do seu discurso. Em seguida, abraçou Rafael Marques.

Base

O novo presidente, Rafael Marques, que é trabalhador na Ford, se colocou a disposição da companheirada e comprometido em continuar o projeto dos metalúrgicos de preservação dos empregos e ampliação da renda e dos direitos dos trabalhadores.

“Me sinto seguro em assumir essa tarefa porque temos uma direção preparada, que recebe informações consistentes do chão de fábrica”, disse ele. “Esse conhecimento que a representação no local de trabalho nos passa é o diferencial do nosso Sindicato”, continuou.

Ele destacou que as discussões para a transição foram tranquilas, já que a decisão foi tomada de forma conjunta entre toda a direção do Sindicato. “Aqui resolvemos as coisas de maneira parceira entre todos, o que deixa nossa militância tranquila e pronta para desafios maiores”, afirmou Rafael.

“É uma responsabilidade muito grande assumir o Sindicato, principalmente nesse momento de muitos desafios, de enfrentamentos de vários setores da sociedade e da defesa de uma agenda para os trabalhadores com o ACE e o contrato coletivo nacional, entre outras propostas”, destacou.

“Comparando com outras práticas de organização política, nós somos exemplo. Por isso somos invejados e admirados lá fora. Esse jeito de agir de nossa militância faz a diferença na política do País e por isso os Metalúrgicos do ABC produzem tantos novos quadros”, prosseguiu.

“Nossa preocupação será manter um modelo de desenvolvimento e investimentos para o País, procurar sempre mais novidades e novos desafios. Obrigado a todos e vamos à luta”, concluiu Rafael.

Conheça Rafael Marques, o novo presidente

Rafael Marques nasceu em 1964 em São Paulo. Entrou na Villares de 1979, pelo Senai, e ficou na fábrica até 1983. Nos três anos seguintes, esteve em empresas pequenas até entrar na Ford, em 1986, como eletricista de manutenção, função que mantém até hoje.

Em 1987, já militante do Partido dos Trabalhadores (PT), mudou para São Bernardo a fim de ficar mais próximo do trabalho. Dois anos depois participou da greve geral contra o arrocho econômico imposto pelo governo Sarney. “Foi uma das maiores greves realizadas no Brasil participou”, recorda.

No ano seguinte, tomou parte na greve de 51 dias dos golas vermelhas na Ford e foi demitido por causa do movimento. “Foram 80 companheiros mandados embora e readmitidos após a mobilização”, contou. Em 1991 é eleito cipeiro na montadora, início do caminho que o levou à Comissão de Fábrica e ao Comitê Sindical de Empresa na Ford.

No Sindicato, foi diretor de base e secretário-geral. De 2001 a 2011 participou de negociações na Ford que resultaram na fabricação do Ka e na nova família de produtos que será feita em São Bernardo. Em 2006, foi um dos responsáveis pelo acordo que manteve a produção na plataforma da Volks.

Em 2008 ocupa a vice-presidência na chapa encabeçada por Sérgio Nobre, sendo reeleito em 2011. É vice-presidente estadual do PT desde 2009.

Casado, tem um filho e dois enteados. Corintiano, frequenta o estádio quando pode e é fã de rock pesado, Pink Floyd, Titãs e Barão Vermelho.

Sérgio Nobre, dedicação exclusiva à CUT

Sérgio Nobre nasceu na cidade de São Paulo, tem 47 anos e milita no movimento sindical do ABC há mais de 30 anos. É casado e pai de dois filhos. Metalúrgico e graduado em Relações Internacionais pela Fundação Santo André, ingressou na categoria em 1980, como aprendiz do Senai, na Scania, em São Bernardo.

Em 1986, entrou na Mercedes-Benz, também em São Bernardo, onde integrou a CIPA e, depois, a Comissão de Fábrica, que coordenou por dois mandatos. Coordenou também o setor automotivo da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM) da CUT.

Entre 2002 e 2005 foi coordenador da Regional Diadema  do Sindicato e, a partir de 2005, foi secretário de Organização do Sindicato em dois mandatos, até ser eleito presidente, em 2008. Foi reeleito em 2011.

Sérgio Nobre, que também representa os trabalhadores no Conselho de Competitividade do Setor Automotivo do Ministério da Indústria e do Comércio Exterior, na esfera do Plano Brasil Maior, foi eleito secretário-geral da CUT Nacional em julho deste ano para o próximo triênio.

Ele é um dos 38 sócios-fundadores do Instituto Lula, entidade suprapartidária sem fins lucrativos, presidida pelo ex-presidente da República e também ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Luiz Inácio Lula da Silva.

Morador de São Bernardo há mais de 30 anos, Sérgio Nobre recebeu em outubro deste ano o Título de Cidadão São-Bernardense, em evento que lotou o auditório do Sindicato.

Fonte: Mundo Sindical (SP)

Deixe um comentário