Sete em dez brasileiros não sabem quanto pagam de juros no cartão, diz SPC Brasil

Embora a maioria saiba o quanto paga pela anuidade do cartão, sete em dez não têm conhecimento do valor do juro

Levantamento mostra que 72% dos brasileiros não sabem quanto pagam de juros no cartão de crédito, em caso de pagamento mínimo da fatura.

A pesquisa, encomendada pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) para analisar os comportamentos mais comuns na hora de usar as opções de crédito disponíveis no mercado, ouviu 604 pessoas nas capitais brasileiras.

Os resultados mostram que 77% dos consumidores usam cartão de crédito e possuem pelo menos um cartão. E embora a maioria saiba o quanto paga pela anuidade do cartão (79%), sete em dez não têm conhecimento do valor do juro cobrado pelo uso do crédito rotativo.

Para a economista Ana Paula Bastos, do SPC Brasil, o “estudo mostra que brasileiro demonstra interesse em saber o quanto que vai desembolsar para adquirir o cartão, mas ignora o valor de custos secundários como a multa paga por atrasar o pagamento da fatura ou o juro cobrado pelo uso do crédito rotativo”.

O estudo aponta ainda para um aumento do número de pessoas que dividem os gastos em parcelas maiores. Segundo o SPC Brasil, em 2012 o percentual da população que parcelava as compras de móveis em mais de dez vezes era de 10%, enquanto este ano passou para 15%.

Já o percentual de quem dividia gastos com eletrodomésticos e aparelhos eletrônicos em 2012 era de 11% e 10%, respectivamente. Este ano, saltou para 50% e 47% em cada caso.

Quem deixa de pagar a fatura integral pode arcar com uma taxa média de juros de 200% ao ano, alerta Ana Paula. Para a economista, os resultados mostram que os consumidores sabem a importância de fazer um planejamento orçamentário e de utilizar o crédito de maneira consciente.

“O que falta é um conhecimento técnico de como realizar esse planejamento. Ou seja: faltam noções mais aprofundadas sobre educação financeira, que muitas vezes não foram ensinadas em casa, nem nas escolas”, afirma.

Segundo o SPC Brasil, em 41% dos casos, o descontrole financeiro é o principal motivo para a inclusão de dívidas em atraso nos serviços de proteção ao crédito. O estudo indica que 64% da população brasileira já esteve ou está com o nome incluído nesses cadastros.

Fonte: Folha.com

Deixe um comentário