Semana Santa: Peixe está 6,75% mais caro

Com a chegada da semana santa, a demanda por pescado aumenta. No entanto, alguns cuidados na hora de adquirir esses produtos devem ser observados. A pressa deve ser deixada de lado, de forma que os consumidores possam avaliar cuidadosamente a qualidade do pescado, bem como pesquisar os preços pra levar um produto de qualidade para casa, sem sentir muito peso no bolso. Por isso, o Procon Goiás visitou 19 (dezenove) estabelecimentos da capital, sendo 10 (dez) supermercados e 9 (nove) peixarias, verificando os preços de 41 (quarenta e um) tipos de pescados como: camarão, caranha, dourada, lambari, pintado, sardinha, tucunaré, bacalhau, etc, como forma de demonstrar aos consumidores as grandes variações de preços e os cuidados na hora de adquirir esses produtos.

Pescado na capital goiana

Analisando o preço médio praticado em março de 2014, com o preço médio praticado atualmente, considerando os produtos que figuraram em ambas pesquisas realizadas pelo Procon Goiás, o pescado está, em média, 6,75% mais caro nos últimos 12 meses. No entanto, considerando a média de preços individualmente, alguns produtos chegaram a registrar aumento de 38,53%. É o caso do quilo da Sardinha que passou do preço médio de R$ 7,80 (03/2014) para R$ 10,81 (03/2015). Outro item que está mais salgado, não apenas no produto mas também no preço, é o quilo do bacalhau Saithe, com 26,50% de aumento médio. Em março de 2014, o produto era vendido ao preço médio de R$ 24,60 e atualmente, o preço médio é de R$ 31,12.

Com 14,58% de aumento médio anual, o preço médio do quilo da Caranha era vendido a R$ 10,16 em 03/2014 e, hoje custa em média, R$ 11,64. Dentre os poucos produtos que registraram redução no preço médio, está o quilo do filé de Merluza, com redução de -2,25%, passando de R$ 16,03 em 03/2014 para R$ 15,67 em 03/2015.

Principais variações entre menor e maior preço

Normalmente, os produtos em que identificamos uma grande variação nos preços podem ser justificados pelo fato de alguns dos estabelecimentos visitados estarem comercializando o produto com preço promocional. Com isso, a velha dica de pesquisar pode resultar em uma boa economia no bolso do consumidor.

Com 283,96% de variação nos preços, o quilo da tilápia (pacote) pode ser encontrado ao menor preço de R$ 9,35, podendo chegar a R$ 35,90. O quilo da sardinha, que foi o produto que registrou o maior aumento, também registrou uma grande variação nos preços praticados entre os estabelecimentos da capital, podendo ser encontrado entre R$ 6,90 e R$ 24,90, variação de 260,87%.

Já o quilo do pintado foi encontrado ao menor preço de R$ 12,90, enquanto o maior preço encontrado chegou a R$ 38,69, variação de 199,92%. A variação de preços do quilo da dourada foi de 98,45%, com preços oscilando entre R$ 18,09 e R$ 35,90. 99,00% foi a variação verificada no quilo da caranha, com preços oscilando entre R$ 7,99 e R$ 15,90. O quilo do camarão rosa “G” (limpo) foi encontrado ao menor preço de R$ 39,90 e o maior a R$ 139,00, variação de 248,37%.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário