Rota para escapar do pedágio pode levar pelo menos mais 22 minutos

Moradores e comerciantes que precisam trafegar diariamente pela praça de pedágio da GO-060, entre Goianápolis e Anápolis, buscam alternativas de fuga após a Triunfo Concebra, concessionária responsável, afirmar que não haverá isenção para condutores que moram e trabalham em cidades que ficam entre as praças de pedágio. Isenções são autorizadas apenas para veículos cadastrados que prestam serviços públicos, como ambulâncias e segurança pública.

O motorista Osvaldo José de Souza mora em Goianápolis e tem uma chácara em Anápolis, portanto faz o trajeto entre as duas cidades, pelo menos, duas vezes ao dia. Para ele é inviável gastar R$ 192 mensais com pedágio. “A arrecadação será boa para a cidade. Mas eu prefiro usar a rota da estrada de terra como alternativa do que pagar o pedágio”, diz.

Já o comerciante Alberto Carlos Bisinotto, 75 anos, mora em Anápolis e possui uma fazenda em Goianápolis. Ele afirma que só utilizará a alternativa de fuga caso a estrada seja asfaltada, caso contrário não é vantajoso.

“Faço quatro viagens diariamente até a fazenda, serão R$ 372 mensais com pedágio. É pesado no bolso, mas há vantagens em utilizar o serviço. As estradas estão conservadas e teremos manutenção das mesmas. Além disso, evita acidentes e se caso o carro quebrar, teremos assistência”, afirma Alberto.

De acordo com a Triunfo Concebra, está sendo oferecido desde setembro do ano passado socorro médico e mecânico aos usuários, além de 24 Serviços de Atendimento ao Usuário (SAU), instalados a cada 50 km. Os postos de atendimento possuem sanitários, área de descanso, informações, água e estão equipados com ambulâncias, guinchos leves e pesados, caminhões para recolhimento de animais e caminhão de combate a incêndio.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário