Quilo da carne deve ficar até R$ 2 mais alto

Esse aumento se dá devido a estiagem prolongada desse início de ano

A carne pode ser uma das vilãs da inflação neste mês de março. Os açougues avisam que o preço do quilo da carne deve ficar até R$ 2 mais alto a partir desta semana. Isso por causa estiagem prolongada neste início do ano, que reduziu a qualidade dos pastos e afetou o crescimento dos animais, que ficaram mais escassos no mercado. Com isso, a arroba do boi já passou dos R$ 112 em Goiás.

O empresário José Cruvinel da Silva, proprietário da Casa de Carnes Vila Nova, afirma que todos os dias seu fornecedor eleva os preços em R$ 0,10 ou R$ 0,20 e o quilo já chegou a R$ 7,50. Ele conta que repassou R$ 1 de reajuste para os preços. Com isso, a carne de segunda passou de R$ 10,90 para R$ 11,90 e a de primeira, de R$ 16,99 para R$ 17,99.

O repasse só não foi maior porque as vendas estão baixas, situação que tende a piorar durante o período da quaresma, quando muita gente deixa de comer carne. “Teremos de repassar mais um pouco, caso contrário trabalharemos no vermelho, sem cobrir as despesas”.

A proprietária do Império das Carnes, Marta Valéria de Souza, conta que o preço do quilo da carne da vaca com osso passou de R$ 6,40 para R$ 7,40.

Apesar do preço mais elevado, ela informa que também está mais difícil encontrar o produto no mercado.

“O reajuste começou há duas semanas e seguramos muito. Só agora estamos repassando aos poucos e o preço do quilo deve ficar R$ 2 mais alto para o consumidor.” Marta lembra essa sempre foi uma época de baixa dos preços.

Repasse

O proprietário do Verdurão e Casa de Carne Nova Suíça, José Bacana, informou que o preço subiu 10% apenas ontem, e o quilo, que custava R$ 8,50, chegou a R$ 9,50. “Se subir de novo, terei de repassar.”

Os preços começaram a subir nos últimos 15 dias e estão 30% mais elevados, segundo Ivaneide Cristina da Silva, da Goiânia Carnes.

Segundo ela, o açougue está segurando o reajuste porque o movimento está fraco e há temor de mais queda. Na Casa de Carnes Centro-Oeste, os preços estão cerca de R$ 1 mais altos para cada corte de carne.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário