PPR de metalúrgicos ultrapassa R$ 5 mi

ZF diz que programa faz parte da política de valorização de seus colaboradores

Os trabalhadores da ZF do Brasil receberão, cada um, R$ 5.250 pelo Programa de Participação nos Resultados (PPR) que foi assinado no início da semana passada. O valor foi aprovado em assembleia realizada entre os funcionários e o Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (Smetal). De acordo com o presidente da entidade, Ademilson Terto da Silva, os acordos de PPR no setor são assinados entre janeiro e julho. Até o momento, algumas empresas já definiram o valor do benefício, e outras estão em negociação.

As negociações são feitas no caso a caso. Para apresentar o valor do benefício o sindicato faz um cálculo levando em consideração o crescimento do setor e da empresa propriamente dito. Na ZF Sistemas, a proposta de PPR também foi aprovada na semana passada. O valor, de R$ 5 mil, é igual à da outra fábrica do grupo em Sorocaba, a ZF Lemforder. A primeira parcela na ZF Sistemas, de R$ 2.750, também foi na sexta. Juntas, as três fábricas ZF de Sorocaba, todas fabricantes de autopeças, empregam mais de 5 mil trabalhadores. Procurada para comentar os valores que serão pagos aos funcionários, a direção da ZF, por meio de nota, afirmou que isso faz parte da política de valorização de seus colaboradores.

Terto explica que nos casos de empresas com capital aberto, ou seja, as “sociedade anônimas”, as informações são obtidas por meio do balancete, documento obrigatoriamente público nesse caso. “Nas outras, às vezes a gente encontra dificuldades para saber exatamente o crescimento”, lamenta o sindicalista. Para os cálculos o sindicato conta com ajuda da regional do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese – Subseção Metalúrgicos de Sorocaba). Depois de definido um valor é iniciada a negociação.

Alta de 10% a 15%

Também na semana passada, os quase 6 mil trabalhadores da Schaeffler em Sorocaba, outra fabricante de autopeças, fecharam o PPR em R$ 4,8 mil. A primeira parcela, de R$ 2,8 mil, será paga na quarta-feira, dia 6. A segunda parcela, de R$ 2 mil, condicionada a metas, sai em fevereiro de 2013. Já na Dana, a assinatura do benefício foi feita no dia 25 e ficou acordado que cada um dos 600 funcionários da autopeças ganhará R$ 4,7 mil. Os valores alcançados esse ano, diz Terto, são entre 10% e 15% maiores do que os conseguidos em 2011. “O ano passado foi extraordinário. Conseguimos altas de 30% em média”, comemora. Esse resultado, explica Terto, foi reflexo da retomada do setor industrial que sofreu com a crise mundial na economia que se arrastou entre os anos de 2008 e 2010.

Fonte: Cruzeiro do Sul (RJ)

Deixe um comentário