PIB do País só crescerá mais com reformas

Crescimento maior dos países desenvolvidos deve garantir maior demanda por produtos dos emergentes

Um nível maior e mais sustentado de crescimento econômico em países emergentes como o Brasil vai exigir um esforço renovado em reformas estruturais, para dar mais peso ao mercado interno como motor da atividade. É o que conclui um estudo dos economistas do Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgado ontem chamado Mercados Emergentes em Transição: Perspectivas de Crescimento e Desafios.

Os economistas afirmam que, no curto prazo, o crescimento maior dos países desenvolvidos deve garantir maior demanda por produtos dos emergentes. O estudo destaca que depois de serem estrelas de crescimento econômico, os emergentes estão amargando taxas decepcionantes. O Brasil é citado como exemplo, com a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) reduzida em 2,75 pontos porcentuais desde 2010/2011, para 2,3%.

Como parte desta desaceleração é por conta de fatores cíclicos, o estudo diz que a recuperação maior esperada para os países avançados, como os Estados Unidos, deve ajudar os emergentes, na medida que os mercados desenvolvidos vão demandar mais exportações. A previsão, porém, é que os fatores que ajudaram os emergentes a ter crescimento forte nos anos 2000 não devem se repetir nos próximos anos. Entre estes fatores, o estudo cita a alta dos preços das commodities e as condições favoráveis no mercado financeiro.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário