Pacote tenta ajudar indústria

Desta vez, vai acelerar suas próprias compras com a avaliação de que elas poderão dar um estímulo adicional aos investimentos e, com isso, melhorar o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB)

Em caráter de urgência, o governo decidiu usar hoje mais uma arma para tentar contra-atacar o marasmo da atividade econômica. Desta vez, vai acelerar suas próprias compras com a avaliação de que elas poderão dar um estímulo adicional aos investimentos e, com isso, melhorar o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB). A porta-voz das boas novas será a presidente Dilma Rousseff e a solenidade, prevista para o final da manhã, ganhou o nome de PAC Equipamentos – Programa de Compras Governamentais.

A divulgação dos novos estímulos à economia foi antecipada ontem pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Fernando Pimentel. Ele não deu detalhes sobre o anúncio, mas tratou as medidas como um “pacote”. O deseja antecipar compras que já estavam previstas dando preferência à indústria nacional, principalmente nas aquisições de setores capazes de dar mais dinamismo à indústria, como Saúde, Defesa e Educação. “É uma ação emergencial”, disse uma fonte. A ideia é acelerar os investimentos na compra de maquinários para projetos do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC).

O governo decidiu na noite de ontem não incluir no anúncio de medidas de estímulo à economia, que ocorrerá no Palácio Planalto hoje, a prorrogação da redução de IPI para eletrodomésticos da linha branca, móveis, luminárias e papel de parede. A prorrogação do benefício deverá ser concedida, mas o governo optou por deixar a divulgação para outro momento. O benefício termina no próximo sábado.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário