Oposição pede na internet apoio para o impeachment

Deputados de oposição pretendem apresentar um pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff em 15 dias, segundo parlamentares ouvidos pela reportagem.

Esse é o prazo que políticos à frente do movimento favorável ao afastamento da petista acreditam precisar para garantir apoio político suficiente para fazer a proposta sair do papel.

O primeiro passo para esta estratégia é o movimento pró-impeachment, que será lançado na manhã desta quinta (10). Os líderes da ação vão colocar na internet um site interativo e uma petição eletrônica pró-afastamento da presidente. Eles esperam que, com pressão popular, mais deputados abracem a ideia.

A iniciativa é encabeçada pelos pelos líderes do PSDB, Carlos Sampaio (SP); do DEM, Mendonça Filho (PE); da minoria, Bruno Araújo (PSDB-PE); e do PPS, Rubens Bueno (PR), e tem o apoio velado do presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG).

A opção por criar um movimento pró-impeachment se deu para que mesmo integrantes de partidos aliados ao governo se sintam à vontade para participar. O movimento já conta com apoios no PMDB, partido do vice-presidente Michel Temer.

O grupo deve tomar por base algum dos pedidos de afastamento de Dilma da Presidência já apresentados na Câmara. O favorito é de um dos fundadores do PT, o jurista Hélio Bicudo, que protocolou um documento semana passada na Câmara no qual argumenta que a petista não tem condições de se manter no cargo. Ele cita, entre outros motivos, as chamadas pedaladas fiscais.

O teor jurídico seria complementado pelo jurista Miguel Reale Jr e assinado por um parlamentar. O nome mais cotado até o momento para assumir a coautoria da proposta é o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG).

Para alguns parlamentares da base aliada, a previsão de 15 dias é precipitada.

“Nem eles, nem ninguém sabe qual o prazo disso. Estão sendo otimistas demais”, afirmou um peemedebista próximo ao governo.

Outro líderes da oposição também foram convidados para participar do ato desta manhã, como os presidentes do DEM, senador José Agripino (RN), e do PSDB, Aécio Neves, além de Ronaldo Caiado (DEM), único que confirmou presença até a noite desta quarta.

Um acordo prévio já costurado com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a quem cabe encaminhar pedidos do gênero, prevê que ele indeferirá a solicitação para se isentar do ônus político de arcar sozinho com a decisão.

Em seguida, um deputado entraria com um recurso para contestar o que foi decidido por Cunha, o que levaria o pedido a ser apreciado pelo plenário da Câmara. A oposição precisa de maioria simples dos presentes para dar início ao andamento da solicitação de abertura de um processo de impeachment.

PIXULEKO

Os oposicionistas que encabeçam a ação pelo impeachment da presidente Dilma receberam do movimento Revoltados Online na noite desta terça-feira (9) mini-Pixulekos, bonecos infláveis com a imagem do ex-presidente Lula vestido de presidiário.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário