Operadoras se comprometem a melhorar serviços de dados móveis

As operadoras Claro, Oi, Tim, Vivo, Algar Celular e Sercomtel divulgaram uma nota nesta quinta-feira (23) na qual afirmam que colocarão em prática uma série de ações para tornar mais clara a contratação e as condições de ofertas de planos de internet móvel.

Em reunião com o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, as empresas firmaram um compromisso público com três ações.

No documento, as empresas se comprometem a elaborar uma campanha de informação para o consumidor sobre serviços de internet móvel, com explicações sobre a franquia e os limites de uso, além de exemplos práticos sobre o consumo de dados e sobre fatores que podem aumentar o consumou ou afetar a velocidade de navegação.

Além disso, as empresas de telefonia se comprometeram a elaborar um “código de conduta para a comunicação da oferta de internet móvel”, no qual explicitarão as condições que devem ser observadas pelas operadoras para uma comunicação “mais clara, objetiva e transparente” das ofertas de planos de internet.

A apresentação do código de conduta e a campanha de informação têm prazo de 30 dias para serem divulgados, de acordo com o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil).

Já o aprimoramento das ferramentas para que o consumidor possa acompanhar o uso dos dados móveis tem prazo de 60 dias. Os prazos, segundo o sindicato, foram estabelecidos pelas próprias empresas.

“Basicamente é um compromisso para poder entregar muito mais informações para os nossos clientes”, ressaltou o presidente da Claro, Carlos Zenteno. “Se você explica para o cliente quanto ele já consumiu, como ele vai poder acompanhar o uso, vai prevenir que o cliente tenha dúvidas sobre o seu serviço”, afirmou.

Também está no documento o compromisso de aprimorar e divulgar ferramentas ou aplicativos que permitam ao consumidor acompanhar o consumo de dados de internet.

Franquias de internet

Durante entrevista com jornalistas após a reunião no Ministério das Comunicações, o presidente da Tim no Brasil, Rodrigo Abreu, comentou as mudanças na forma de cobrança para os consumidores que atingirem os limites da franquia dos pacotes de internet para celular.

Desde o ano passado, as operadoras passaram a cobrar dos consumidores a contratação de um pacote adicional para seguir navegando pela internet pelo celular. Para Abreu, há, por parte das empresas, “absoluta convicção” de que não existe nenhum tipo de ilegalidade na cobrança. O presidente da Tim, porém, não comentou se o assunto foi tratado na reunião.

“[A cobrança] é absolutamente legal, absolutamente dentro de tudo aquilo que deveria ser seguido do ponto de vista de regulamentação e legislação do setor para as ofertas das empresas. É uma mudança única e exclusivamente de mecânica, dada a mudanças de condições econômicas e de consumo e tecnológicas do setor. Ponto”, disse.

Sobre o compromisso de melhoria dos serviços, o executivo disse que, hoje, com o crescimento tão grande de serviços de internet móvel, “é natural que alterações de mecânica, alterações comerciais, que são naturais em qualquer mercado que evolui, acabem causando reações, acabem causando uma necessidade de aumentar a comunicação sobre os planos”..

“A resposta das empresas foi desenvolver esse compromisso público, com esses três pontos”, completou o presidente da Tim.

Fonte: G1

Deixe um comentário