Metalúrgicos se reúnem para protestar contra “mordomia”

De acordo com os manifestantes, há um “abismo” entre os funcionários do chão de fábrica e os trabalhadores com cargos administrativos e de gerência

Metalúrgicos da Bosch se mobilizam hoje em frente à sede da empresa, na CIC, para pressionar a diretoria da multinacional a acabar com a flexibilização nos benefícios e o tratamento diferenciado na empresa. De acordo com os manifestantes, há um “abismo” entre os funcionários do chão de fábrica e os trabalhadores com cargos administrativos e de gerência. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, os protestos terão duração de uma hora durante as trocas de turno, às 5h e às 17h.

Para o presidente do sindicato, Sérgio Butka (foto), os trabalhadores da linha de produção sofrem com a flexibilização nos salários e benefícios, enquanto chefes, gerentes e supervisores continuam com “certas mordomias”, entre elas o 14.º salário e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) diferenciada.

“Não podemos dar cheque em branco à Bosch para continuar fazendo concessões a determinados setores. Por isso, vamos cobrar da empresa o fim deste tratamento diferenciado. Chega de pagar a conta para a mordomia de supervisores, gerentes e diretores da empresa”, afirma Butka.

Categoria quer reajuste

Além de protestar contra a desigualdade de benefícios dentro do quadro de funcionários da Bosch, os manifestantes vão aproveitar para reivindicar o acordo salarial justo. A mobilização pelo aumento do salário começou no início do mês, mas, segundo o sindicato, a negociação não avançou devido à política da empresa em flexibilizar ainda mais o salário do chão de fábrica. Entre as reivindicações dos trabalhadores estão: correção nos salários (3% de aumento real mais reposição da inflação) e abono de no mínimo R$ 3,5 mil e correção salarial.

Fonte: Paraná Online


Deixe um comentário