Metalúrgicos do ABC projetam 5 mil contratações este ano

A produção teve a primeira queda em dez anos, 1,9% ante 2011, mas as vendas bateram recorde, com 3,8 milhões de unidades, entre nacionais e importados

O anúncio da Ford, divulgado nesta quarta-feira (16), que informou o investimento de R$ 800 milhões na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, foi visto pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC como o sinal de um ano que será mais positivo que o anterior. Até o fim de 2013, a entidade projeta 5 mil contratações, entre montadoras e autopeças, chegando a 108 mil trabalhadores apenas em sua base.

De acordo com informações do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, há 4 mil funcionários na unidade da Ford em São Bernardo, e o acordo prevê a realização de 600 contratações até 2015.

Em entrevista à imprensa, o presidente do sindicato, Rafael Marques disse que “na curva que a empresa nos apresentou, até por conta de que não se tem uma curva fechada de produção, estão prevendo a retomada de contratações a partir do segundo semestre de 2014”.

Segundo ele, trais medidas “vão desonerar energia elétrica, que vão garantir a desoneração da PLR, tudo isso vai deixar um valor significativo no bolso dos trabalhadores”.

Medidas do governo

O governo federal estima que a queda na tarifa da energia elétrica em até 20% ocorra já neste primeiro bimestre, e até o meio do ano algumas categorias já se valerão da isenção de Imposto de Renda sobre a participação nos lucros ou resultados (PLR), medida anunciada por Dilma Rousseff em dezembro.

Em 2012, apesar da leitura de que se tratou de um ano ruim, a indústria automobilística teve um saldo de 5.310 trabalhadores no Brasil, chegando a um total de 149.944. A produção teve a primeira queda em dez anos, 1,9% ante 2011, mas as vendas bateram recorde, com 3,8 milhões de unidades, entre nacionais e importados.

Em outubro do ano passado o governo federal anunciou o Inovar Auto, um pacote que prevê desoneração tributária para as montadoras que investirem em eficiência energética e que ampliarem o uso de peças produzidas no Brasil. Segundo a reportagem do Valor, parte do novo Fiesta será feita no país, levando a um investimento de R$ 500 milhões em Taubaté, no interior paulista, onde fica a unidade de motores.

Com informações da Rede Brasil Atual

Fonte: Portal Vermelho (SP)

Deixe um comentário