SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Metalúrgicos da GM param por 2 horas e ameaçam fazer greve

Os funcionários da fábrica da General Motors, em São José dos Campos (SP), atrasaram a produção em duas horas na manhã desta quinta-feira

Os funcionários da fábrica da General Motors, em São José dos Campos (SP), atrasaram a produção em duas horas na manhã desta quinta-feira e devem protocolar ainda hoje aviso de estado de greve (em que há ameaça de parar).

O movimento, liderado pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, integra uma série de manifestações que os trabalhadores já organizaram nas últimas semanas em protesto às ameaças da empresa de fechar uma das linhas da fábrica e demitir 1.500 dos 7.500 funcionários da unidade.

A GM estaria programando o fechamento do setor de MVA (Montagem de Veículos Automotores) da unidade, que inclui marcas como a Meriva, Zafira, Classic e Corsa. Segundo o sindicato, Meriva e Zafira serão tirados de linha, enquanto os outros devem ser transferidos para outras unidades.

Procurada pela Folha às 10h50, a GM não respondeu às solicitações até a publicação desta nota.

A paralisação ocorreu das 5h50 às 7h50 de hoje, o que representa um hiato na produção de 146 carros e 300 motores. Os metalúrgicos planejam uma nova parada também durante a tarde, das 14h30 às 16h30, ainda a ser confirmada com os funcionários deste turno.

A parada matinal foi seguida de uma reunião, iniciada às 10h, entre as lideranças do sindicato, representantes da empresa e da Secretaria de Relações do Trabalho, em São Paulo, que terminou sem acordo.

Além da ameaça de greve, os metalúrgicos de São José dos Campos defendem que o governo federal exclua a GM do programa de redução de IPI, que ofereceu no final de maio para montadoras instaladas do país, como forma de estimular e reaquecer a produção, que vinha registrando quedas.

As vendas de automóveis da GM, segundo dados mais recentes da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), acumulam queda de 6,8% de janeiro a maio, comparado a mesmo período em 2011. Considerando as vendas de maio sobre abril, no entanto, já impulsionadas pela redução de IPI concedida pelo governo no dia 21 de maio, houve alta de 37,6%.

Foi a maior alta entre as 12 montadoras do país monitoradas ela Anfavea, entre elas Fiat, Volkswagen e Ford. Na média nacional, as vendas de maio sobre abril tiveram aumento de 11,1%.

Fonte: Folha.com

Deixe um comentário