Metalúrgicos da CUT aprovam reivindicações da Campanha Salarial

A data-base é 1º de setembro e cerca 206 mil metalúrgicos estarão em Campanha

Os metalúrgicos da CUT no Estado de São Paulo dão início à Campanha Salarial. Em Plenária Estatutária da FEM-CUT/SP, realizada nesta sexta-feira, dia 7 de junho, dirigentes dos 14 sindicatos filiados no Estado aprovaram as principais reivindicações: reposição integral da inflação e aumento real; valorização nos pisos salariais; redução da jornada de trabalho, sem redução de salário, a ampliação e unificação de direitos em Convenção Coletiva de Trabalho. A data-base é 1º de setembro e cerca 206 mil metalúrgicos estarão em Campanha. “A nossa Campanha é uma referência para o Brasil. Negociaremos com os patrões a unificação dos direitos sociais de todos os grupos patronais (abaixo relação), visando ampliá-los. Enfrentaremos um ambiente de negociação difícil, mas faremos uma Campanha de luta e resistência”, afirma o presidente da FEM-CUT/SP, Valmir Marques da Silva, (Biro Biro).

Durante a Plenária Estatutária, os dirigentes propuseram sugestões de cláusulas sociais novas que serão entregues às bancadas patronais dos setores máquinas, eletrônicos, autopeças, forjaria, parafusos, trefilação, laminação de metais ferrosos, lâmpadas, estamparia e fundição entre outros, no dia 4 de julho. A direção da FEM definirá na próxima semana o local de lançamento da Campanha.

Reivindicações e assembleias nas bases

Segundo Biro Biro,  as propostas de direitos novos vieram das Plenárias Regionais da FEM, ocorridas em Pindamonhangaba, Matão,  Salto e ABC, e possuem características do “chão de fábrica”, ou seja, tratam de temas essenciais e carências dos trabalhadores no dia a dia. Alguns exemplos são: a garantia de emprego ao empregado em situação pré-cirúrgica; a garantia ao empregado com dependente deficiente; atestado de acompanhante, valendo como atestado médico para os responsáveis de crianças até 12 anos em consulta médica e internação hospitalar; e garantia ao empregado com doenças graves (exemplos câncer,AIDS entre outras).

No período de 10 a 23 de junho, os 14 sindicatos metalúrgicos filiados realizarão nas suas bases assembleias para apresentar aos trabalhadores as pautas de reivindicações sugeridas pela FEM. No total, a Federação entregará seis pautas às bancadas patronais.

Conjuntura

O presidente do PT de São Paulo, deputado estadual Edinho Silva, participou da Plenária Estatutária da FEM-CUT/SP. Na sua análise sobre a conjuntura nacional e estadual, o dirigente disse que a crise econômica internacional é, sem dúvida, a maior que a de 1929, mas alertou aos sindicalistas para não se embalarem pelos discursos negativos daqueles que querem rebaixar o Brasil. “O setor empresarial trabalha com o aprofundamento da crise, e isso é política. Ao contrário dos pessimistas de plantão, o Brasil não está em crise. O nosso País está gerando empregos, registramos recentemente o menor índice de desemprego da história. Não existe retração da nossa economia, seus pilares estão preservados, as reservas estão acumuladas e estamos mantendo os níveis de crescimento”, explica.

Também prestigiaram a abertura da Plenária Estatutária o presidente da CNM/CUT, Paulo Cayres, o Secretário Geral da Federação, João Farani, a Secretária da Mulher da FEM, Andréa Souza e o Secretário Geral da CUT/Nacional, Sérgio Nobre.

Neste ano, a Campanha Salarial da FEM-CUT/SP negociará com os seis grupos patronais (abaixo) a melhoria e ampliação das cláusulas econômicas (aumento salarial e pisos) e sociais. Na base da Federação estarão em Campanha cerca de 206 mil metalúrgicos em todo o Estado e a data-base é 1º de setembro. A Federação representa 14 sindicatos metalúrgicos filiados em todo o Estado. Confira a abaixo os setores metalúrgicos da base da FEM em Campanha:

Grupo 2 (máquinas e eletrônicos)

Total:75.500

Grupo 3 (autopeças, forjaria, parafusos)

Total: 51 mil

Grupo 8 (trefilação, laminação de metais ferrosos; refrigeração, equipamentos ferroviários, rodoviários entre outros)

Total: 36 mil

Grupo 10 (lâmpadas, equipamentos odontológicos, iluminação, material bélico entre outros).

Total: 35 mil

Estamparia

Total: 4.000

Fundição

Total: 4.000

Total: 205,5 mil metalúrgicos em Campanha

Fonte: Mundo Sindical

Deixe um comentário