Metalúrgicos aprovam acordo entre sindicato e GM

Segundo a assessoria do sindicato, o acordo prevê investimentos de R$ 500 milhões em diversas áreas

Cerca de 5 mil trabalhadores da General Motors (GM) de São José dos Campos aprovaram, nesta segunda-feira, o acordo assinado pelo Sindicato dos Metalúrgicos e pela montadora na noite de sábado, de acordo com informações da assessoria da GM e do sindicato. Outra reunião será feita no turno da tarde com cerca de 2 mil trabalhadores para verificar se esses trabalhadores também aprovam a proposta.

Segundo a assessoria do sindicato, o acordo prevê investimentos de R$ 500 milhões nas áreas de componentes, funilaria, motores e transmissões, estamparias, injetores, dentre outras, até 2017 para a planta de São José dos Campos e a empresa se comprometeu a continuar com a produção do Classic até 2013 com a manutenção de 750 trabalhadores até dezembro deste ano. Em 2014, deverá haver outra negociação.

O período de layoff (suspensão temporária do contrato de trabalho, com pagamento de remuneração), que foi iniciado em agosto, será estendido por mais dois meses, com pagamento de salário integral custeado pela GM. Após o prazo, a montadora terá que pagar multa de três salários se vier a demitir os funcionários. A empresa se comprometeu também a dar férias coletivas entre os dias 29 de janeiro a 14 de fevereiro para os trabalhadores da produção do Classic. Os funcionários que optarem por se desligar imediatamente receberão cinco salários mínimos, diz o sindicato.

A Participação nos Lucros e Resultados (PLR) paga pela empresa aos funcionários em 2013 não poderá ser menor do que a paga em 2012. A empresa também se comprometeu a oferecer formas de antecipação de aposentadoria para os interessados, conforme a assessoria do sindicato.

Entenda

A GM deixou de produzir três dos quatros modelos que eram fabricados em São José dos Campos: Corsa Hatch, Meriva e Zafira, apenas foram mantidas as atividades em relação ao Classic. No entanto, a montadora anunciou a redução da produção do modelo para 80 unidades por dia, ante produção anterior de 350 veículos ao dia. A empresa, contudo, informou ter aumentado a produção da pick-up S10, no complexo industrial.

Em outubro, os metalúrgicos do complexo conseguiram prorrogar com a montadora, do final de novembro para o fim de janeiro, a suspensão de um plano de demissões na unidade. Com o acordo, o período de suspensão de contrato de trabalho de 824 trabalhadores da linha de montagem foi estendido de 30 de novembro para 26 de janeiro, mesmo prazo em que a montadora concordou em continuar produzindo o sedã compacto Classic na linha, onde cerca de 900 funcionários atuam.

Segundo o sindicato, a GM planeja cortar, ao todo, 1.840 trabalhadores da linha, que fabricava modelos antigos que acabaram sendo substituídos por veículos mais novos que estão sendo produzidos em outras fábricas da empresa no País. O sindicato diz ainda que a GM mantém intenção de transferir a produção do Classic para fábrica na Argentina. Com base em estudos feitos pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, o sindicato da categoria informou que a GM já cortou 1.189 vagas, entre julho de 2011 e junho de 2012 e que só na unidade de São José dos Campos foram eliminados 1.044 postos.

Fonte: Terra

Deixe um comentário