Médicos de Aparecida iniciam paralisação

Médicos do Programa de Saúde da Família (PSF) em Aparecida de Goiânia iniciaram uma greve ontem. A paralisação é por tempo indeterminado. Eles exigem a recontratação imediata de cinco médicos demitidos, segundo a categoria, sem justa causa, o pagamento de salários atrasados, melhores condições de trabalho e a aprovação de um Plano de Cargos e Salários.

De acordo com o representante da comissão dos médicos grevistas, Thiago Rosa, caso a Secretaria de Saúde do município atenda às duas primeiras reivindicações, a greve será suspensa. A decisão de paralisar as atividades médicas em Aparecida de Goiânia foi tomada durante reunião realizada ontem na sede do Conselho Regional de Medicina (Cremego).

Segundo Thiago Rosa,  no próximo dia 22, caso as reivindicações da categoria não sejam atendidas, também entrarão em greve os médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e dos Centros de Atendimento Integral à Saúde (Cais).

O secretário de Saúde de Aparecida, Rafael Nakamura, informou, por meio de nota, que não há paralisação de médicos na cidade e que os salários não estão atrasados. Segundo o secretário, há uma negociação pacífica com o sindicato para atender as reivindicações.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário