SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Juro subirá mais cedo que o esperado

Nova York – O Federal Reserve, banco central dos EUA, indicou que os juros podem começar a subir antes que o esperado. Após encerrar a primeira reunião do comitê de política monetária (Fomc) como presidente do Fed, Janet Yellen disse que o aumento pode vir seis meses após o fim do programa de estímulos -que, por sua vez, poderia ocorrer a partir de setembro, segundo ela. Isso implicaria juros mais altos já no primeiro semestre de 2015. As Bolsas nos EUA reagiram mal à declaração e fecharam em queda.

Para o Brasil e outras economias emergentes, o cenário do aumento de juros nos EUA não é bom, já que acaba tornando o mercado americano mais atraente para investimentos e gerando uma saída de dólares desses países. Com isso, as moedas locais, como o real, tendem a se desvalorizar.

A previsão atual do Fed é que as taxas atinjam 1% até o fim de 2015 e 2,25% em 2016. Em dezembro, as estimativas para os mesmos períodos eram de 0,75% e 1,75%. As novas previsões só confirmam a possibilidade de que os juros comecem a ser elevados no primeiro semestre de 2015. Atualmente, os juros básicos estão sendo mantidos entre zero e 0,25%, e a determinação do banco central era que eles permaneceriam nessa margem enquanto a taxa de desemprego não estivesse abaixo de 6,5%.

Hoje, contudo, o Fed também anunciou que não irá mais usar o gatilho de 6,5%, mas uma grande variedade de dados antes de elevar os juros.

CORTE DE ESTÍMULOS

O banco também decidiu seguir com os cortes em seu programa de estímulos e reduzir a injeção, via compra de títulos, em mais US$ 10 bilhões, para US$ 55 bilhões por mês. É o terceiro corte seguido do programa, que começou com estímulos mensais de US$ 85 bilhões. De acordo com o comitê, a economia americana tem dado sinais de avanço, apesar de ter sofrido com o inverno rigoroso nos últimos meses, que reduziu o ritmo de atividade.

O Fed também divulgou, ao fim do encontro, novas projeções para a economia americana, em que prevê um crescimento levemente menor do que a estimativa anterior. Em dezembro, a previsão era que o PIB aumentaria entre 2,8% e 3,2% neste ano. Agora, a estimativa fica entre 2,8% e 3%. Para 2015, a projeção é de 3% a 3,2%, ante 3% a 3,4% previstos em dezembro. Em 2016, a expectativa de alta é de 2,5% a 3%.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário