Inflação em Goiânia é a segunda mais alta

Em maio, Goiânia havia registrado o menor índice, de 0,26%

A prévia do índice de inflação usado pelo governo para a meta perseguida pelo Banco Central (BC) fechou em alta de 0,62% em Goiânia, o segundo mais alto das cidades pesquisadas pelo IBGE, só perdendo para o Rio de Janeiro, onde ficou em 0,72%. Em maio, Goiânia havia registrado o menor índice, de 0,26%.

Já na média nacional, houve recuou de maio para junho. O IPCA-15 desacelerou a alta para 0,38%, após subir 0,46% em maio. Segundo o instituto, remédios e alimentos foram os itens que mais contribuíram para a desaceleração da taxa, mas especialistas chamam a atenção para os preços dos serviços.

TETO

O IPCA-15 acumula 6,67% de alta em 12 meses até junho, acima do teto da meta de inflação – de 4,5%, com margem de 2 pontos porcentuais para baixo ou para cima. Mas a tendência é haver uma redução gradual da taxa acumulada.

Para Fábio Romão, economista da LCA Consultores, a “fase mais dura” de alta da inflação neste ano já passou. De janeiro a maio, a inflação média mensal teve elevação de 7,05% em termos anualizados. O ritmo muito forte foi puxado em especial pela choque de alimentos, que começaram a aliviar.

O grupo Alimentação e Bebidas saiu de uma elevação de 0,47% em maio para 0,27% neste mês, de acordo com o IBGE. “A desaceleração dos alimentos já era esperada”, disse o superintendente adjunto de Inflação do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), Salomão Quadros

PROJEÇÕES

Nas projeções da LCA, o avanço médio mensal do IPCA deverá alcançar 0,37% de junho a dezembro, o que, em termos anualizados representa 4,53%. A LCA projeta uma taxa de 5,5% para 2013.

Para Quadros, do Ibre/FGV, a trajetória de desaceleração dos preços de alimentos pode chegar ao fim em julho, pois os preços agrícolas no atacado pararam de recuar e terão impacto da alta do dólar. “O dólar mais caro pode não ter começado a chegar ao consumidor, mas ao produtor, sim.”

Ainda assim, o IPCA-15 de junho superou o esperado pela LCA (0,34%), por causa da aceleração na inflação de Serviços, de 0,52% em maio para 0,68% neste mês, nos cálculos da LCA.

Fonte: O Popular (GO)

Deixe um comentário