Fundo para FGTS da Caixa ainda gera dúvidas

Com a divulgação de poucos detalhes sobre o fundo de infraestrutura anunciado pelo banco, especialistas no assunto afirmam apenas que ele deve render mais que o FGTS

A Caixa Econômica Federal (CEF) anunciou nesta semana a criação de um fundo de investimentos composto por empresas de infraestrutura, em que o trabalhador poderá usar até 30% do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para investir. O fundo vai começar a ser operado a partir de janeiro e, apesar do anúncio, a Caixa não divulgou os detalhes do regulamento. A expectativa é de que esta aplicação resulte em rendimentos melhores para o investidor que o FGTS, cuja correção anual chega a 3,5%.

Segundo a Caixa, as informações serão amplamente divulgadas quando for iniciada a oferta pública do fundo. Em nota, a CEF ressaltou que todos os debates acerca do Fundo envolvem impactos na revisão de regulamentação, bem como adequações normativas, as quais estão sendo trabalhadas em conjunto com a Comissão de Valores Mobiliário (CVM), de forma que o prazo para lançamento do fundo de investimento de cotas (FIC) ainda não está determinado.

O professor do Ipog e economista Flávio Guerra explica que todo e qualquer investimento tem risco, o que deve ser avaliado é se o retorno compensa o investimento. Comparando a situações semelhantes, como a que ocorreu com a Vale e Petrobras na década de 2000, quando as ações de ambas foram colocadas a venda ,e os trabalhadores podiam usar o FGTS para a compra. Na época, as empresas estavam em franca expansão e as ações estavam com preços elevados. Hoje, as ações de ambas tiveram queda, mas continuam a ser empresas sólidas e com grandes possibilidades de alta.

Análise

Guerra ressalta que as fracas informações dificultam a uma análise mais detalhada de quem pode investir, qual o teto máximo de investimento entre outras dúvidas. Ou seja, quem investir no fundo da Caixa poderá ter arcar com o prejuízo caso alguma das empresas não honre a dívida.

Ele explicou ainda que a gestão do FGTS pela Caixa não é muito competente, prova disso são os baixos rendimentos que o fundo tem durante o ano. “Qualquer coisa que surja FGTS para o trabalhador é melhor que o FGTS. Porém é muito cedo para fazer uma avaliação”, diz.

Para o diretor da Bull Investimentos e Bull Câmbio, Rogério Miklos, as dúvidas em relação a este fundo recém-criado pela Caixa são maiores que a certezas. “Não sabemos quais as empresas que vão compor a carteira do fundo. Não sabemos se há prazo de carência de permanência. O que a experiência me credencia a dizer é que qualquer fundo rende mais que o FGTS”, diz.

O financista esclarece que embora não tenha informações seguras o fundo é de longo prazo, que o investidor corre um risco controlado.

Fonte: O Hoje

Deixe um comentário