Famílias estão com mais dificuldades para pagar

Número de inclusões no SPC cresceu 6,03% em julho, no Estado, por causa dos devedores da Celg

O consumidor goiano está tendo mais dificuldade para pagar suas dívidas. O número de pessoas de Goiás incluídas nos registros do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) cresceu 6,03% no último mês de julho, em relação ao mesmo período de 2013, enquanto o número de dívidas em atraso aumentou 5,88%. O crescimento da inadimplência no Estado ficou acima da média nacional e até da Região Centro-Oeste, principalmente por causa da inclusão de vários clientes da Celg na lista de devedores.

O cenário atual preocupa muito os lojistas. “O aumento da inadimplência é um fenômeno nacional, causado pela estagnação da economia, aumento dos juros e maior restrição do crédito nos bancos”, explica o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Goiás (FCDL), Melchior Luiz Duarte de Abreu Filho.

Segundo ele, com o aumento gradativo dos juros ficou ainda mais difícil para o consumidor resolver esse endividamento. “Os juros consomem cada vez mais a renda”, destaca Melchior. Como se não bastasse, os bancos fecharam suas carteiras de crédito em função do cenário econômico e das incertezas políticas, o que afetou setores como o automotivo.

ENDIVIDAMENTO

O presidente da FCDL lembra que o País viveu um período de euforia do crédito entre 2007 e 2012, com juros mais baixos e longos prazos de pagamento, o que resultou num endividamento além da capacidade de pagamento de muitos consumidores. Nessa época, era possível financiar um carro em até 72 vezes. No final, as contas não fecharam. Hoje, segundo ele, há um esgotamento da capacidade de endividamento da classe média-baixa.

Para que isso não aconteça, Melchior acredita que o País precisa voltar a crescer logo. Hoje, nem um incentivo de redução de impostos tem sido capaz de motivar o consumidor a comprar, simplesmente porque não existe mais capacidade de endividamento. Ninguém tem mais como pegar crédito e os bancos também não querem liberar mais. Ele prevê que o ano de 2015 precisa ser de ajustes na economia.

O levantamento do SPC Brasil mostra que, no segundo trimestre deste ano, a inadimplência caiu na capital e cresceu nos municípios do interior. Para o presidente da FCDL, isso confirma que os municípios estão se inserindo mais no consumo.

Uma das causas da inadimplência em Goiás ter sofrido um verdadeiro boom em julho foi o fato da Celg ter negativado seus devedores no SPC. A companhia havia ficado vários meses sem fazer essa inclusão dos inadimplentes porque seu convênio com o órgão estava vencido e demorou para ser renovado. “A inclusão de todos os devedores da Celg de uma vez acabou influenciando os dados do mês, já que não temos nenhuma crise no Estado que explique o índice acima da média”, explica Melchior.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário