Estabilidade marca confiança dos goianos

O Índice de Confiança dos Empresários do Comércio registrou estabilidade, no mês de dezembro de 2012

O Índice de Confiança dos Empresários do Comércio relativa ao mês de dezembro de 2012 manteve-se estável, segundo pesquisa da Federação do Comércio do Estado de Goiás (Fecomércio-GO), realizada mensalmente em parceria com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A cautela registrada durante todo o ano passado confirmou-se no último trimestre, com todas as variações do estudo mantendo-se em patamares positivos, com variações mínimas para maior ou menor no último mês do ano.

Em dezembro, foi feita uma análise junto a 221 empresas de Goiânia, quando foi registrado que 82,4% delas estão com estoques adequados ou acima do adequado. Para o presidente da Federação, José Evaristo dos Santos, isto significa que terão de realizar promoções, liquidações (o que já vem ocorrendo em várias delas) para retornar a um nível que reflita uma situação mais favorável.

Outro aspecto analisado diz respeito à condição atual das empresas e também da economia. As empresas com mais de 50 funcionários mostraram-se mais otimistas: 100% delas consideraram que sua situação melhorou. Nenhuma demonstrou piora. Já em relação às empresas com menos de 50 funcionários, a situação foi diferente. Embora uma parcela tenha informado melhora em seus negócios, outros 36,6% informaram que a condição atual da empresa piorou.

Substituição tributária

De acordo com Evaristo, este índice pode ter sido fruto da implantação da substituição tributária no Estado, o que aumentou a carga de impostos de vários segmentos, contribuindo assim para que os estabelecimentos comerciais enfrentassem dificuldades. Mesmo assim, quan­- do questionadas sobre a condição atual da economia brasileira, 75% das grandes empresas admitiram uma melhora e 46,7% das menores também.

O presidente da Fecomércio acha que o fato de 53% das empresas considerarem que a situação da economia brasileira apresenta algum grau de piora é preocupante e deve ser levado em consideração. No entanto, “apesar disto, Goiás ainda deve fechar o balanço de 2012 com 7,8% de crescimento do comércio, ficando acima de média nacional que foi de 6,7%”, pondera.

Prova disto são os números onde os empresários afirmam que pretendem continuar a investir este ano e também promover maior contratação de funcionários. Para ver a íntegra do relatório, acesse o site www. fecomerciogo.org.br.

Fonte: O Hoje (GO)

Deixe um comentário