SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Escritor retrata luta dos metalúrgicos

Carlos Araújo lança hoje a biografia do Sindicato da região, com prefácio do ex-presidente Lula

A história do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e região se funde com momentos históricos do Brasil, em configurações políticas e sociais que forjaram uma classe operária.

Para dar visibilidade a este patrimônio histórico, composto por diversas lutas travadas pela reivindicação de direitos civis e sociais, o jornalista e escritor Carlos Araújo, 51 anos, mergulhou em uma extensa pesquisa, que o envolveu por dois anos, em arquivos do sindicato, de jornais e em preciosas entrevistas.

Mas Carlos destaca que a ideia do livro nasceu quando ele ainda era assessor de imprensa no Sindicato dos Metalúrgicos, entre 1988 e 1993.

O resultado dessa jornada está à disposição do público, a partir de hoje, com o lançamento, às 19h, do livro “Companheiros: A Hora e a Vez dos Metalúrgicos de Sorocaba”.

A obra, com 360 páginas, traz a apresentação de Luiz Inácio Lula da Silva, que era amigo de Wilson Fernando da Silva, o Bolinha, operário que assumiu a presidência do sindicato em 1983, após liderar greves ao lado de Lula, no ABC paulista.

Traz também palavras que hoje parecem estar em desuso no sindicalismo brasileiro, como piquetes, causas proletárias e peleguismo.

“Companheiros” mostra diversas faces de um sindicato, fundado em 1954. Da época de “peleguismo” (sindicalismo exclusivamente assistencialista), da face combativa, no fim da década de 1970, até chegar um pouco além da crise mundial de 2008.

Entre suor e disciplina o autor destaca como grande momento de sua pesquisa a descoberta de histórias e personagens que estavam arquivados na memória dos metalúrgicos e nos registros de jornais dos anos em que esta categoria profissional se movimentou para lutar por direitos. “Essa capacidade de intervenção social, política e econômica é um dos destaques que compõe o perfil dos metalúrgicos”, afirma o autor.

Como disse o próprio Lula em um de seus discursos de greve, em São Bernardo do Campo, “…sindicato não é esse prédio. Sindicato é cada um de vocês”, da mesma forma o livro não conta uma história fria. Pelo contrário, traz relatos e experiências humanas. Um patrimônio histórico para os mais velhos relembrarem as lutas e para toda uma juventude de trabalhadores, apoderando-se desse conhecimento histórico, forjarem novas cenas.

Fonte: Rede Bom Dia

Deixe um comentário