Entidades não se posicionam

A reportagem do POPULAR tentou contato com o diretor do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Goiás (Sindiposto), Gustavo Faria, mas ele não atendeu.

Em nota, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom) diz que não comenta os preços dos combustíveis, pois não possui ingerência sobre os fatores que influenciam suas variáveis, respeitando as premissas de mercado livre.

Até o fim da tarde de ontem não havia sido registrada nenhuma denúncia no Procon Goiás em relação ao aumento dos preços de combustíveis.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário