Emprego, valor da folha de pagamento e número de horas pagas na indústria recuam em maio, diz IBGE

A quantidade de pessoal ocupado na indústria em maio recuou 1% em relação ao mês de abril. Com o resultado, divulgado nesta sexta-feira (17), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o índice acumula queda de 5% no ano e de 4,4% nos últimos 12 meses.

A análise mostra ainda que o número de horas pagas (- 1,3%) e o valor da folha de pagamento real (- 3,7%) também apresentaram taxas negativas no mês.

Segundo o IBGE, o total do pessoal ocupado assalariado permaneceu menos intenso com o quinto resultado negativo seguido do volume de ocupados. O número de horas pagas aos trabalhadores, por sua vez, é o menor desde 2009 e o terceiro negativo seguido da análise.

O instituto analisa ainda que os resultados refletem a diminuição de ritmo da produção industrial desde o último trimestre de 2013. Neste mesmo período, o pessoal ocupado e do número de horas pagas também apontam para perdas significativas, de – 7,3% e – 8,2%, respectivamente.

Setores

Em maio, o volume de trabalhadores avançou apenas em um dos setores de atividades pesquisados, o de produtos químicos (+ 0,2%).

Em contrapartida, 17 dos ramos reduziram seu pessoal. Entre os destaques negativos aparecem os segmentos de transporte (- 11%), alimentos e bebidas (- 3,2%), máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (- 12,9%) e produtos de metal (- 10,6%), máquinas e equipamentos (- 7,2%), vestuário (- 7,5%), outros produtos da indústria de transformação (- 9,6%), calçados e couro (- 7,6%), metalurgia básica (- 6,6%), refino de petróleo e produção de álcool (- 7%), indústrias extrativas (- 5,2%),

Os setores de minerais não metálicos (- 2,4%), papel e gráfica (- 3,3%) e produtos têxteis (- 2,9%) registraram as quedas menos acentuadas no mês.

Fonte: R7

Deixe um comentário