Economia informal deve superar os R$ 760 bilhões em 2013, estima FGV

Fatia da produção sobre o PIB deve cair para 15,9% em 2013, diz estudo. Parcela representa queda de 0,8 ponto porcentual sobre 2012.

A fatia da produção de bens e serviços não reportada ao governo, que fica à margem do Produto Interno Bruto (PIB) nacional – como como ocorre no mercado informal – atingiu a marca de 15,9% em 2013, redução de 0,8 ponto porcentual sobre 2012, estima nesta terça-feira (26) o Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO), em conjunto com o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV/IBRE), por meio do Índice de Economia Subterrânea (IES).

O índice de 2013, de 15,9%, é o menor desde quando foi iniciada a pesquisa, em 2003.

Em valores absolutos, a estimativa é de que a economia informal supere a marca de R$ 760 bilhões em 2013.

De acordo com a FGV, colaboram para a queda da informalidade fatores como o menor crescimento demográfico, que influencia na queda do desemprego, e a elevação do nível geral de escolaridade do brasileiro.

A divulgação aponta, também, que apesar da leitura positiva, é preciso considerar que a inesperada aceleração da queda da informalidade pode ter raízes em outros fatores pontuais, como é o caso da desoneração da folha de pagamento temporária para alguns setores da economia.

Fonte: G1

Deixe um comentário