Dilma diz que manterá inflação na meta

Um dia depois de o Banco Central anunciar o nono aumento seguido da taxa básica de juros, a presidente Dilma Rousseff afirmou ontem que o governo manterá a taxa de inflação no limite da meta neste ano.

Durante sua fala em evento de empreendedores, em Brasília, Dilma reafirmou que as reservas do País, de US$ 377 bilhões, estão sólidas, que a dívida líquida sobre o PIB (passivo do setor público sobre o Produto Interno Bruto), de 33,7%, foi reduzida ao longo dos anos, e que a política fiscal está mantida.

“Nós atingimos esses resultados preservando integralmente a solidez da nossa economia. A taxa de inflação vem sendo mantida nos últimos anos dentro dos limites fixados pelo Conselho Monetário Nacional. E isso também acontecerá em 2014”, disse a presidente.

SELIC

Na quarta-feira, a taxa Selic subiu de 10,75% para 11% ao ano. A decisão foi unânime e já era esperada pelo mercado. Também conta com o apoio do Palácio do Planalto, preocupado com o risco de a inflação estourar o teto da meta, de 6,5%, em plena campanha eleitoral.

Assessores presidenciais trabalham com a possibilidade de mais uma alta na Selic em maio, para 11,25%, caso a inflação continue mostrando resistência ao longo do primeiro semestre deste ano.

O temor é que a alta dos preços afete a popularidade da presidente nas próximas pesquisas, o que pode alimentar pressões para a troca da candidatura de Dilma pela do ex-presidente Lula.

A ida de Dilma ao evento de micro e pequenos empresários faz parte de uma estratégia do Planalto de tentar nova aproximação com o setor produtivo do país.

Em uma estratégia coordenada com a agenda do ex-presidente Lula, Dilma também delegou ao vice-presidente Michel Temer a função de conversar com empresários em encontro do Council of Foreign Relations, em Nova York, no próximo fim de semana.

Hoje, Dilma reforçou várias vezes em seu discurso a necessidade de diálogo entre os empresários e sua gestão.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário