Crise: GM tem 1.500 em risco

Este é o número de empregos que podem ser cortados em S. José; foi confirmado o fim da produção da MVA

Cerca de 1.500 empregos na  General Motors de São José devem ser cortados nos próximos meses. A confirmação do fim da produção da linha conhecida como MVA, responsável pela produção dos veículos Corsa, Meriva e Zafira teria sido feita ontem pela GM ao Sindicato dos Metalúrgicos. “Está cada vez mais claro que a GM está preparando uma demissão em massa”, disse o presidente do sindicato, Antonio Ferreira Barros, o Macapá.

Ele se encontrou, ao lado do secretário-geral do sindicato, Luis Carlos Prates, o Mancha, com o diretor de Assuntos Institucionais da montadora, Luiz Moan, para discutir a situação na unidade. Segundo Macapá, Moan disse os veículos produzidos no MVA vão deixar de ser fabricados, mas não precisou uma data. Quando o PDV (Programa de Demissão Voluntária) foi implantado em São José, Moan confirmou que os veículos produzidos no MVA não estavam bem no mercado.

Neste sábado (30), a GM não se manifestou sobre o assunto.  Outro tema tratado na reunião  foi a transferência de produção do modelo Classic para São José, medida que poderia garantir a manutenção dos postos de trabalho no MVA –hoje, o Classic é produzido em São Caetano do Sul e em Rosário (ARG). Macapá salientou que a GM disse ‘não ter veto para discutir novos investimentos’, mas não confirmou a transferência de produção do modelo.

reação /O sindicato prometeu intensificar suas mobilizações na próxima semana. Na segunda termina o prazo de adesão ao PDV. “A empresa tem feito uma pressão forte para que os trabalhadores entrem no PDV, inclusive em supervisores. Vamos organizar mobilizações em São José, Brasília e vamos sensibilizar a GM”, disse Macapá. Uma nova reunião, desta vez com a presença do Ministério do Trabalho, está marcada entre GM e sindicato para a semana do dia 23 de julho. Os metalúrgicos tentam confirmar a participação da Prefeitura de São José e do governo do Estado.
 
 
Volks anuncia abertura de  PDV em Taubaté
A Volkswagen implantou ontem um PDV em sua unidade de Taubaté. A medida seria voltada aos aposentados que buscam deixar a empresa, afirma o sindicato. O programa faz parte do pacote de investimentos anunciado no início do ano para dobrar a produção da fábrica e estaria previsto para os próximos anos.  A Volks não comentou. A unidade  emprega aproximadamente 5.200 trabalhadores em Taubaté.

Fonte: Rede Bom Dia (SP)

Deixe um comentário