Correios assumem entrega de faturas da Celg em Goiânia

Enquanto muita gente está procurando as agências de atendimento da Celg para reclamar que não está recebendo suas faturas de energia elétrica, a companhia ouviu relatos de consumidores que teriam visto talões jogados em bueiros e córregos da capital. Na última semana, moradores da Região Sudoeste de Goiânia reclamaram que não receberam os boletos e tiveram a energia cortada. Amanhã, os Correios passam a entregar as faturas de energia também na capital, visando prestar um serviço de maior qualidade à população.

O vice-presidente da Celg e diretor de Regulação da Celg Distribuição, Elie Chidiac, informa que a companhia se reuniu com representantes da Faw Engenharia e pediu que a empresa faça uma apuração interna para averiguar os indícios de uma possível sabotagem na distribuição das faturas, segundo denúncia apresentada por consumidores.

A costureira Josefa Márcia dos Santos procurou ontem uma agência de atendimento da Celg para retirar a fatura de energia que não chegou em sua casa. Ela conta que não tem acesso a computador para acessar o documento pela internet. Com três crianças em casa, Josefa teme ter o serviço cortado por falta de pagamento e diz que conhece muita gente que está reclamando da mesma coisa. “É muito difícil porque só tenho a hora do almoço para vir até aqui e ainda pagar na lotérica”, diz.

A vendedora Rosane Monteiro também reclama que ficou dois meses seguidos sem receber o talão de energia. Ela procurou a Celg, que alegou problemas na central de distribuição das faturas e mudou a data de vencimento da conta. “É muito difícil ficar vindo até aqui para resolver isso porque tenho pouco tempo na hora do almoço”, afirma Rosane.

Licitação

O serviço de entrega dos talões estava sendo feito pela empresa Faw Engenharia, que assumiu em caráter emergencial vários serviços da Celg. Isso depois que a companhia rompeu o contrato com a Evoluti, o que resultou na falta de leitura de muitos relógios de medição no último mês de julho (veja quadro).

A empresa Potência chegou a vencer uma licitação da Celg para assumir os serviços, mas até hoje não teria conseguido atender todas as especificações em relação a recursos humanos e equipamentos. Por isso, uma nova licitação deve ser aberta para serviços como corte de energia, religação e leitura dos relógios.

A partir de amanhã, segundo o vice-presidente da Celg, Elie Chidiac, os Correios começam a distribuir as 620 mil faturas da Celg que são entregues em Goiânia. Segundo ele, a expectativa é de um aumento da qualidade do serviço, por ser uma empresa altamente qualificada, com forte capilaridade, know-how e mais celeridade nas entregas, a um custo acessível.

Os demais serviços, como leitura, corte e religação de energia continuam sendo feitos pela Faw, que deixará apenas de fazer a entrega das faturas.

Apesar dos problemas com a entrega dos documentos aos consumidores, Elie Chidiac lembra que a Resolução Normativa 414/2010 diz que o cidadão precisa ter conhecimento sobre suas dívidas e deve procurar outros meios para quita-las.

“Isso não exime o consumidor de pagar suas dívidas”, alerta o executivo da Celg. Em todo Estado, agora serão 2,6 milhões de faturas distribuídas pelos Correios.
Licitação pode ser impugnada
14 de outubro de 2014 (terça-feira)

Como a Potencia, a empresa vencedora, ainda não apresentou toda estrutura exigida pela Celg para assumir os demais serviços prestados ao consumidor, a licitação anterior pode ser impugnada. Segundo o diretor de Regulação da Companhia, o objetivo de todas as exigências de qualidade da empresa é evitar que os problemas anteriores que ocorreram com a Evoluti se repitam, visando proteger a população goiana, que não pode mais enfrentar situações como essas.

As reclamações de falta de entrega das faturas teriam sido registradas em vários pontos diferentes da cidade. A reportagem foi informada de que nenhum telefone fixo da Faw Engenharia consta nos serviços de informação em Goiânia, e a pessoa apontada como responsável pela empresa não atendeu as várias tentativas de contato pelo telefone celular. Procurado, os Correios não quiseram se manifestar sobre o início da prestação do serviço na capital.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário