Consumidor deve ficar atento às taxas de juros

Descontrole financeiro pode afetar a produtividade e até levar a demissões

Para o educador e terapeuta financeiro Reinaldo Domingos, presidente da DSOP Educação Financeira, o problema não é ter dívidas, mas sim não ter total conhecimento da situação financeira, fazendo com que a vida gire em torno de dívidas intermináveis, que deixam cada vez mais longe a realização dos sonhos. Ele alerta que esse descontrole financeiro pode afetar a produtividade e até levar a demissões.

O especialista em Direito Bancário e diretor-tesoureiro da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Goiás (OAB-GO), Enil Henrique de Souza Filho, diz que é preciso atenção na hora de contratar o crédito consignado, principalmente em relação aos contratos e às cobranças das taxas e juros. Segundo ele, é comum constatar abusividade nas cobranças de juros e o cliente deve procurar a Justiça para que os índices sejam revisados e o dinheiro devolvido.

Enil Henrique explica que a parcela de um empréstimo consignado só pode comprometer até 30% do salário ou da aposentadoria. Ele informa que, em Goiás, há muitos casos em que as cobranças ultrapassaram esse limite e comprometeram as finanças dos servidores públicos e aposentados.

COMPROMETIMENTO

O vice-presidente da Associação de Bancos de Goiás, Tocantins e Maranhão (Asban), Mário Queiroz, garante que os bancos se preocupam em limitar o comprometimento da renda em 30% e muitos já criaram setores voltados para educação financeira. A própria Asban está em contato com órgãos e entidades para realizar seminários de orientação.

“O superendividamento não interessa a ninguém, pois a dívida só é positiva quando melhora a qualidade de vida. Mas as pessoas se envolvem no consumismo”. Em caso de fraudes comprovadas no consignado, Mário garante que a pessoa é sempre ressarcida, mesmo que demore.

Fonte: O Popular

Deixe um comentário