Confiança do consumidor fica abaixo da média histórica pelo 14º mês

Índice ficou praticamente estável, ao passar de 107,1 para 107,2 pontos. Leve alta foi determinada por melhora da avaliação em relação ao presente.

A confiança do consumidor ficou estável em março, na comparação com o mês anterior, passando de 107,1 para 107,2 pontos, uma variação de 0,1%. Com o resultado, o índice manteve-se abaixo da média histórica, de 116,3 pontos, pelo 14º mês consecutivo. Os números foram divulgados nesta quarta-feira (26) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

A leve alta foi determinada pela melhora da avaliação do consumidor em relação ao momento presente. O Índice da Situação Atual (ISA) avançou 1,3%, para 113,8 pontos, após acumular perdas de 6,1% nos três meses anteriores.

Em relação ao futuro, o pessimismo persiste. O Índice de expectativas (IE) recuou pelo quarto mês seguido, em 0,5%, para 104,0 pontos, o mais baixo desde maio de 2011 (103,9), segundo a FGV.

A fatia dos consumidores que avaliam a situação econômica como boa aumentou de 15,2% para 15,6%, enquanto a dos que a julgam ruim diminuiu de 41,0% para 39,5%.

Em relação às expectativas para os próximos meses em relação à economia, os consumidores seguem pessimistas. O indicador que mede o grau de otimismo em relação à situação econômica futura caiu para 98,4 pontos, o menor nível desde março de 2009 (95,9). A parcela de consumidores projetando melhora diminuiu de 26,0% para 25,0%; a dos que preveem piora aumentou de 26,5% para 26,6%.

Fonte: G1

Deixe um comentário