SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE GOIÂNIA – SINDMETAL – GO

Menu

Com 61 votos, impeachment de Dilma é aprovado no plenário

Com 61 votos a favor e 20 contra, o plenário do Senado aprovou na quarta-feira, 31 de agosto, o afastamento definitivo de Dilma Roussef da presidência da República. Com aplausos e comemoração de parte dos senadores, o decreto foi anunciado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski. A posse de Michel Temer deve ocorrer nesta quarta-feira, às 16h.

O julgamento foi marcado por discussões e divergências. Na terça-feira, 30 de agosto, Dilma se pronunciou em defesa e respondeu perguntas feitas pelos parlamentares. O pedido de impeachment partiu da acusação dos juristas Miguel Reale Júnior, Janaina Paschoal e Hélio Bicudo, ao afirmar que Dilma cometeu crime de responsabilidade ao editar três decretos de créditos suplementares sem autorização do Legislativo e ao praticar as chamadas “pedaladas fiscais”.

Dilma não poderá pleitear cargos como presidente, governadora e prefeita por oito anos. Porém, não está inabilitada à funções públicas. A ex-presidente deve desocupar o Palácio da Alvorada em até 30 dias. Este é o segundo impeachment ocorrido no Brasil. O primeiro, aconteceu em 1992 culminado pelo movimento “Caras Pintadas”, contra o ex-presidente Fernando Collor.

Deixe um comentário