BB quer liberar R$ 1 bilhão em crédito para casa própria pela linha ‘pró-cotista’

O Banco do Brasil informou que pretende desembolsar até o final deste ano cerca de R$ 1 bilhão na linha de financiamento imobiliário na linha pró-cotista, para trabalhadores com conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) há, no mínimo, três anos. O BB mapeou 2,2 milhões de clientes que reúnem condições para pegar financiamentos por essa linha.

Para contratar dentro dessa nova modalidade, será preciso ter conta ativa do FGTS com, no mínimo, 36 contribuições, consecutivos ou não. Se o cliente não possuir conta ativa, é necessário que o saldo total do FGTS seja igual ou superior a 10% do valor do imóvel (ou do valor de compra e venda, o que foi maior).

A linha de crédito financia até 90% de imóveis avaliados em até R$ 400 mil, pelo prazo máximo de 360 meses, ou 30 anos. A taxa de juros é de 9% ao ano.

A linha pró-cotista recebeu, no fim de maio, um incremento de R$ 5 bilhões, autorizado pelo conselho curador do FGTS. A medida incluiu um pacote de socorro aos financiamentos imobiliários, que ficaram sem recursos depois dos saques recordes da caderneta de poupança. Na mesma reunião, o conselho reduziu o valor máximo do imóvel que pode ser financiado de R$ 750 mil para R$ 400 mil.

O Banco Central chegou a liberar os bancos para usar R$ 22,5 bilhões dos depósitos que são obrigados a manter no BC desde que fossem utilizados em operações de financiamento da casa própria.

O BB também informou que ampliou o prazo de financiamento das linhas com o dinheiro da poupança para até 420 meses e elevou para até 80% a parcela que pode ser financiada. O movimento é contrário ao da Caixa, que reduziu de 80% para 50% o valor máximo de financiamento dos imóveis usados de até R$ 750 mil com os recursos da poupança.

Fonte: EM

Deixe um comentário